A falácia das ‘diretas já’ EDITORIAL ESTADO - 27/05/2017
Aproveitar-se da convulsão política no País para promover alterações constitucionais com vista a favorecer um grupo político viola escandalosamente a democracia
Os defensores da antecipação da eleição direta para presidente querem fazer acreditar que somente assim teremos um governo com legitimidade e, portanto, capaz de tirar o País da crise. Essa concepção do voto direto como panaceia dos problemas nacionais se presta a vários propósitos, a maioria inconfessáveis, e nenhum deles efetivamente democrático. Quem apregoa a eleição direta para presidente agora, de afogadilho, ou defende interesses turvos ou é apenas oportunista.

Em primeiro lugar, basta observar quais partidos lideram o esforço para colocar o tema na pauta do Congresso. São em sua maioria siglas que desde sempre se dedicam a questionar a legitimidade e a sabotar qualquer governo democraticamente eleito que não seja integrado por um dos seus. Os notórios PT, PSOL, Rede e PCdoB, entre outros, informaram que vão se reunir na semana que vem para discutir a formação de uma “frente nacional” para defender a antecipação da eleição presidencial direta. A memória nacional está repleta de exemplos de como os petistas e seus filhotes mais radicais jamais aceitaram o resultado das eleições presidenciais que perderam, e provavelmente continuarão a não aceitar caso o vencedor do próximo pleito não seja Lula da Silva ou alguém da patota.

Ataque ao "voto impresso"!
General Bda paulo chagas
Caros amigos
O pedido dos Corregedores da Justiça Eleitoral ao deputado Vicente Cândido (do PT!) para que seja adiado o voto impresso, previsto para 2018, é uma forma de debochar do povo brasileiro. 
Diante dos TRILHÕES que foram roubados pelo PT e seus aliados, dizer que o custo da implantação dos novos equipamentos (2 bilhões de Reais) é muito elevado para que se tenha "apenas a impressão do voto" é bricadeira de mau gosto, é escárnio, ainda mais, se considerarmos que essa proposta foi enviada a um "petralha" com a justificativa de que "estamos vivendo num momento de profunda crise econômica", quando esta foi criada pela própria quadrilha a que pertence o destinatário!