Influência e ajuda de Cuba `a luta armada na América Latina
 Retirado do livro a Verdade Sufocada - A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça _
Autor Carlos Alberto Brilhante Ustra - 12ª edição - pág 132 a 140

O movimento Comunista Internacional sempre objetivou  estender seus domínios sobre a América Laitina.
 Em 1956, 82 revolucionários, comandados por Fidel Castro , desembarcaram do Iate Granma, no litoral sudeste de Cuba . Foram emboscados pelas tropas de Fulgêncio Batista . Só restaram 12, que se refugiaram nas selvas de Sierra Maestra, onde continuaram  a pregar  a luta armada contra o regime  de Batista.
 Com o tempo, formaram um exército guerrilheiro que marchou em direção ao centro do país.
 Em 1º de janeiro de 1959, colunas guerrilheiras, lideradas por Ernesto Che Guevara  e Camilo Cienfuegos, entraram em Havana  apoiadas pela população civil contrária a  Fulgêncio Batista.

 Fidel Castro nas primeiras semanas fuzilou mais de 700 pessoas, aí incluindo 600 militares que pertenciam ao exército cubano. Ao longo dos anos os fuzilamentos continuaram. Estima-se que mais de 17 000 cubanos  tenham sido executados no “paredon”.Assim , Fidel e seus guerrilheiros conseguiram dominar Cuba.


 Quando anunciou ao mundo que sua revolução era comunista , passou  a ser apoiado por Moscou em armamento , munição , petróleo e divisas que atingiram o valor de um bilhão de dólares anualmente.
Estava encravada na América Latina , uma cunha para facilitar os propósitos da União Soviética na tentativa de dominá-la.
 A revolução cubana teve grande influência sobre os movimentos guerrilheiros em vários países latino-americanos onde eclodiu a luta armada.