Influência e ajuda de Cuba à luta armada no Brasil
Retirado do livro A Verdade sufocada- a História que a esquerda não quer que o Brasil conheça
Autor Carlos Alberto Brilhante Ustra - 12ª edição - pág  141 a 146
Fidel Castro vislumbrou expandir sua revolução no Brasil , inicialmente usando as Ligas Camponesas de Francisco Julião. Tinha a esperança de obtendo o sucesso desse movimento , exportar suas ideias revolucionárias para outros países da América do Sul.
Posteriormente, proporciou treinamento militar em Cuba para brasileiros selecionados pelas organizações terroristas , que tinham como objetivo maior a criação de uma massa critica, capaz não apenas de desencadear  ações de guerrilha urbana e rural, mas principalmente, de operar campos de treinamento e de instruir outros militantes selecionados para a guerra de guerrilha. Não parou aí a interferência cubana em nosso país . Além do apoio político , ajudou com dinheiro e armas (...)
Obs do site www.averdadesufocada.com : Fidel Castro recebe guerrilheiros em Cuba

No período de 1960-1970, 219 guerrilheiros, além de outros não identificados ,  fizeram treinamento militar em Cuba , ainda no governo Jânio Quadros, no governo Jango e a maioria após 1964.

Em 04/12/1962, o jornal  O Estado de São Paulo  noticiou  a existência de áreas de guerrilha e anunciou a prisão de membros das Ligas Camponesas , em Dianópolis , no interior de Goiás, hoje Tocantins.
 No local, foram apreendidos retratos e textos de Fidel Castro , bandeiras cubanas , manuais de instrução de combate, planos de sabotagem e armas , além da contabilidade da ajuda financeira  enviada por Cuba  e dos planos das ligas Camponesas em outros estados do País . O responsável por esse centro de treinamento guerrilheiro era Carlos Montarroyo. Vinte e quatro militantes foram presos. Também foram decretadas as prisões de Clodomir Moraes, Tarzan de Castro e Amaro Luiz de Carvalho.

João Goulart era presidente do País, o que prova que essas guerrilhas foram iniciadas  antes da Contra Revolução de 1964, portanto a motivação do movimento guerrilheiro não era a luta contra nenhuma ditadura.

 Os dirigentes cubanos orientavam , instruíam e difundiam para a América seu modelo de revolução: o foquismo
O crescimento das organizações subversivas no Brasil, pré e pós  a Contra-Revolução de 1964 , continuou sob grande influência da revolução cubana. A ideia central da Segunda Declaração de Havana , que influenciava os subversivos brasileiros era que :
“ O dever de todo revolucionário é fazer a revolução e levar  a toda América latina  o movimento revolucionário, “

Fidel Castro e Che Guevara povoavam  os sonhos dos revolucionários com as seguintes frases : “ Cuba sente-se no direito de incentivar  a revolução na América Latina”

“O caminho da libertação nacional da América Latina é o caminho da violência . Essa violência será necessária em quase todos os países da América Latina.”

Essas ideias envolviam os jovens e os estimulavam à violência.