Caros amigos e amigas,
Esta é a segunda de uma série de mensagens com respostas a interpelações de esquerdistas quanto ao regime militar, luta armada, anistia e Comissão (da Omissão) da Verdade, fruto de vários debates e entrevistas em que participei.
2. Os esquerdistas procuram explorar casos que ficaram famosos de vítimas de agentes do Estado, mas omitem os casos de vítimas de suas violências, que incluíam também a tortura, sempre que tinham prisioneiros com eles, à exceção, logicamente, de autoridades reféns, pois essas teriam que ser libertadas após negociações.
QUANTO A VIOLAÇÕES A DIREITOS HUMANOS:
Não defendo terrorismo, torturas, sequestros e execuções, nem pelos militantes da luta armada nem pelos agentes do Estado. 

Defendo a anistia ampla, geral e irrestrita como foi acordada em 1979.
 
Defendo imparcialidade no espaço dado ao contraditório, o que não é feito pela mídia e não o foi pela Comissão (da Omissão) da Verdade. 
 
MORTOS DA LUTA ARMADA VIRARAM CASOS EMBLEMÁTICOS - por defenderem a revolução comunista e porque muitos pertenciam a uma glamourizada elite intelectual marxista.
PORÉM, AS VÍTIMAS CAUSADAS PELA LUTA ARMADA FORAM DESPREZADAS - não contaram com a solidariedade da esquerda radical, revanchista e hipócrita, e não foram indenizadas pelas violações sofridas.
EXEMPLOS:
1. José Conceição - Fazendeiro – SP.
TORTURADO e fuzilado pela ALN de Marighela (hoje nome de escolas). 
2. João Pereira – Guia do Exército no Araguaia – PA.
TORTURADO e assassinado pelo PCdoB na frente dos pais. Cortaram-lhe as orelhas, os dedos e as mãos antes de enfiar-lhe uma faca. 
No Relatório de Ângelo Arroyo (PCdoB) consta que a morte de João Pereira causou pânico na região (leia-se TERROR). 
3. Edson Carvalho, Jornalista, e Nelson Fernandes, Almirante – PE
Assassinados pela AP no ATENTADO À BOMBA no Aeroporto de Guararapes com outros 17 feridos, inclusive uma criança. 
4. Tenente Mendes Júnior (PMSP), morto a coronhadas quando prisioneiro de Lamarca. 
5. Cap Chandler (EUA), crivado de balas, diante da esposa e do filho? 
6. Soldado Mário Kozel Filho, destroçado por um carro bomba.
 
Portanto, nenhum militante da luta armada tem base moral para condenar os governos militares, pois estavam em organizações criminosas, violadoras de DH e queriam se tornar governo.
 
Os Goebles Tropicais Vermelhos fazem matérias emocionantes sobre militantes mortos e famílias, mas se omitem quanto aos dramas de suas vítimas e familiares.
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar