Mudar é preciso!
Gen Bda Paulo Chagas
Caros amigos
Como votaram os deputados no "julgamento de Michel Temer?
Os da esquerda socialista/comunista votaram, com a hipocrisia de sempre, pela saída de Temer, não por incompatibilidade com a corrupção, mas pelo prolongamento da crise que pariram e não assumem. Esbravejaram em favor dos 14 milhões que eles próprios colocaram em situação de desemprego. Condenaram a reforma trabalhista que lhes nega os recursos do imposto sindical e a tutela dos trabalhadores que exploram e usam para manterem-se no poder. Vociferaram demagogicamente contra uma reforma da previdência que já esteve em seus planos.  Clamaram por diretas já mirando na tentativa de livrar Lula da Silva da cadeia e, sob sua desprezível liderança, requentar o sonho de "cubanizar" o Brasil na versão venezuelana do comunismo. Foram descaradamente ridículos, como sempre!
Os da "base aliada" que foram vaselinados pelo adiantamento de recursos, em sua maioria, votaram, como quem passa recibo, pela simples permanência de Temer. Outros, não aquinhoados pelas benesses da negociata, por rancor ou convicção ética, política ou moral, votaram pelo afastamento do Presidente. Outros, ainda, comprometidos com o restabelecimento da estabilidade econômica, votaram por sua permanência, ressaltando tratar-se de um adiamento e da transferência do processo para a justiça comum, a do Meritíssimo Sérgio Moro.
 
Seja como for, Michel Temer preservou o seu mandato. O mercado, espectador atento e interessado, aparentemente, aprovou a decisão - o que é bom! -, mas mantém-se reticente com relação ao futuro e à estabilidade, haja vista o desgaste da "base" e a necessidade de sua recomposição ainda em condições de aprovar as reformas que lhe aportam reflexo.
Mais uma crise dentro da crise, mais desgaste e atraso na lenta recuperação do País. Frustrante para quem quer vê-lo em franca escalada para fora do buraco, mas perfeitamente compatível com o baixo nível da política brasileira, ambiente em que chafurdam, se afogam e se matam os nossos representantes eleitos!
Mudar é preciso!
"(...) Não conto gozar a minha vida; nem em gozá-la penso. (...) Cada vez mais ponho da essência anímica do meu sangue o propósito impessoal de engrandecer a pátria e contribuir para a evolução da humanidade." (Trecho de "Navegar é Preciso", de Fernando Pessoa - Poeta português)
 
 
 
 
 
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar