Gênese do "CV" e "PCC"

Por: Luis afonso Assumpção


Texto completo 

Quem quiser conhecer a história de como a esquerda na prisão ensinou seus colegas criminosos comuns as técnicas terroristas-revolucionárias obtidas nos campos de treinamento em Cuba ou na China, busque na internet ou em livros (tal como o recém-lançado "A Verdade Sufocada" do Coronel Brilhante Ustra).

Um dos capítulos do livro, chamado "O Movimento Armado Revolucionário - MAR e os 'meninos de Flavio Tavares'", mostra em detalhes um destes episódios. Neste caso mostra como a penitenciária Lemos de Britto no Rio de Janeiro foi tomada por uma organização criminosa dirigida pelos detentos políticos. Os criminosos comuns foram conduzidos pelos primeiros. Havia militantes em liberdade que atuavam como pombo-correio com a organização maior. Um deles era o (agora famoso) jornalista Flávio Tavares.

Em 26 de maio de 1969 o grupo executou o seu plano de fuga: um guarda foi morto e vários outros feridos. Mais tarde a maior parte do grupo foi preso.

Flávio Tavares, em seu livro "Memórias do Esquecimento", trata de toda a sua feroz militância na esquerda mais radical como uma "história de emoção e lirismo", como se tratasse de um livro de poesias. Vai mais longe: Tratava os criminosos aliciados para o plano como "seus meninos". Pois seus "meninos" mataram um policial, feriram outros dois e deixaram um quarto paraplégico.

Eis um exemplo, um microcosmo, da gênese de organizações como o "Comando Vermelho" e o "PCC".

Luis afonso Assumpção - www.votebrasil.com.br

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar