RICARDO NOBLAT
O GLOBO - 14/07/2014

"Meu govêrno é padrão Felipão"
Dilma, no último dia 1º

Juscelino Kubistchek foi um presidente da República "pé-quente". No seu período de governo entre 1956 e 1961, o saltador Adhemar Ferreira da Silva sagrou-se bicampeão olímpico, a tenista Maria Esther Bueno celebrou o seu primeiro título no Torneio de Wimbledon, o Brasil foi campeão mundial de basquete, Éder Jofre conquistou o título de campeão mundial de boxe e a Seleção ganhou a Copa do Mundo.

O QUE QUERO dizer com isso? Nada. Lembrei-me de Juscelino ao ver uma fotografia em que ele acompanha pelo rádio a Copa do Mundo de 1958. A televisão ainda não transmitia os jogos. Getúlio Vargas, a quem Juscelino sucedera no cargo, costumava fazer comícios em estádios de futebol no Rio. Foi o primeiro presidente a aproximar a política dos esportes na tentativa de obter maior apoio popular.

COUBE A JUSCELINO inaugurar o hábito de presidentes receberem em palácios a Seleção que voltasse vitoriosa de uma Copa do Mundo. Além de condecorar os jogadores, Juscelino posou para fotografias ao lado da taça batizada de Jules Rimet em homenagem a um antigo presidente da Fifa. A Seleção que fosse tricampeã ficaria com a taça em definitivo. Isso levou 41 anos para acontecer.

O BRASIL FOI BI em 1962, durante o governo do presidente João Goulart. E tri em 1970, quando o país atravessava a fase mais violenta da ditadura militar iniciada em 1964. O então presidente, general Garrastazu Médici, frequentava o Maracanã em dias de clássicos. O Brasil crescia a taxas elevadas. A Seleção visitou Médici em Brasília. A taça Jules Rimet acabou roubada da sede da CBF em 1983. Nunca mais apareceu.

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO tirou casquinha duas vezes de vitórias da Seleção. A primeira em 1994, quando se elegeu presidente e a Seleção foi tetra-campeã. A segunda em 2002, quando recepcionou a Seleção pentacampeã no último ano do seu segundo governo. O atacante Vampeta deu uma cambalhota na rampa do Palácio do Planalto. Fernando Henrique levantou a atual taça ao lado de Cafu e Felipão.

SELEÇÃO DERROTADA jamais foi admitida no endereço mais importante da República. Nem sequer para ser consolada. É possível que uma mulher presidente tenha a sensibilidade que faltou aos seus antecessores. Quando nada porque se orgulha, e com razão, de ter ganhado a Copa travada fora dos campos. Tudo funcionou a contento. A Copa está sendo reconhecida como a melhor da História. E Dilma não joga futebol.

LOGO, NÃO PODE SER culpada pelo mais vergonhoso desempenho da Seleção desde que o Brasil virou uma pátria de chuteiras. É verdade que lhe faltou a prudência demonstrada por Lula. Alguém por aí viu Lula em algum estádio? Oito novos estádios bastavam. Atraído pela ideia de dividir a taça com Dilma, Lula bancou a construção de 12. Alguém por aí viu alguma foto de Lula torcendo em casa pela Seleção? Nem isso.

DILMA FOI OBRIGADA a se expor. Poderia ter feito isso somente duas vezes - na abertura da Copa e na entrega da taça ao novo campeão. Mas caiu na tentação de tirar proveito político de uma Seleção que capengou feio desde o seu primeiro jogo. Agora, acende velas para que as próximas pesquisas de intenção de voto não lhe tragam más notícias. Aposta na capacidade do brasileiro de separar o que ela ensaiou juntar.

A VERDADE É QUE o destino foi ingrato com Dilma. Mesmo que nada perca com a Copa, alguma coisa ela deixa seguramente de ganhar. Abrem-se as cortinas e começa um novo espetáculo - dessa vez, o das eleições gerais.

Comentários   
#3 Domenico 15-07-2014 22:37
Em sendo, o povo brasileiro, apaixonado por futebol, a "madame" em questão, por uma questão marqueteira, quis atrelar Copa com eleição. Pois, é... Levou vaias e xingamentos e com certeza, arrependeu-se de expor-se à insatisfação do povo, quanto ao seu desgoverno. O seu chefe, muito do espertalhão, preferiu curtir o evento, em frente ao telão,"Padrão Fifa", dentro de seu modesto lar, "Padrão Fifa", enquanto o povão, continuava sonhando com a vitória de uma Seleção, "Padrão Pífia" e depois acordar para a realidade de um governo, "Padrão Pífia" !
#2 Kléber 15-07-2014 14:05
"Meu govêrno é padrão Felipão". Essa talvez seja a única verdade dita por nossa soberana nos últimos 4 anos.
É um desgoverno comunista, um desastre nacional.
#1 chatissimo Miloliva 14-07-2014 17:30
Deus nos salve desses : o ali baba e o poste. O petismo/comunis mo está ultrapassado! Fora! Chôu! Chou!
Adicionar comentário