Tudo indica que Dias Toffoli vai se compor com o governo Bolsonaro
Gazeta do Povo - 23/12/2018
José Antonio Perez
O ensaio foi o seguinte: o Marco Aurélio Mello dá a liminar, o Dias Toffoli finge que deixou de ser petista e que libertou José Dirceu de ofício (sem sequer ter havido pedido da defesa), para depois mudarem a jurisprudência em abril. Já digo logo que não dará certo, pois em abril “a banda vai estar tocando diferente”! Mourão, Heleno e Cia saberão retransmitir o recado que o povo já enviou nas urnas em outubro!
Recados podem ser dados de várias maneiras, como declarações ou falando diretamente com o general de plantão na assessoria de imprensa no Supremo Tribunal Federal que muitos petistas afirmam ser imposição para monitorar e etc. Chamam o general e dizem abertamente qual o recado. Também podem enviar através do futuro ministro da defesa que já deu expediente na “Corte” Suprema.

OUTRA VERSÃO – Duvido que isso vá adiante pois minha teoria é a seguinte: Dias Toffoli “foi” petista, empregado do Dirceu, amigo do Lula e por ele indicado à Suprema Corte mesmo tendo sido reprovado em concurso para juiz de primeira instância (manda quem pode e obedece quem tem juízo/ quem puxa saco não puxa carroça…).

Então, se é amigo do Dirceu e do Lula, hoje não vale nada. E não valendo nada, já estando de conchavos com Bolsonaro e com certeza vai amarelar e mudar de lado, pois Lula, Dirceu e o PT já eram!

Moro deve aconselhar Bolsonaro (espero que faça isso) para mudar essas leis feitas por corruptos como Robertão Cardoso Alves (é dando que se recebe) ou juristas de merda como Nelson Jobim, que assumiu ser criminoso ao se entregar afirmando ter incluído conteúdo na constituição sem aprovação nas comissões. Depois, levou Gilmar Mendes a seu escritório para ser chantageado por Lula para atrasar o julgamento do mensalão por falta de “objetividade”…

HORA DE MUDAR – Ou mudam as leis e fazem a limpeza do Poder Judiciário, recomendada pela ex-corregedora do Conselho Nacional de Justiça, ministra Eliane Calmon, ou nada muda.

Já fizeram as leis com brechas para nunca serem apanhados. Para piorar, instituíram salvaguardas em cláusula pétrea. A punição máxima que lhes acontece é antecipar a aposentadoria, que significa uma benesse.

Mas o ex-governador Sérgio Cabral já está querendo fazer delação premiada para entregar a Justiça do Rio de Janeiro. Pode-se começar por aí.

Adicionar comentário