Em janeiro, o repórter Duda Teixeira visitou Caracas e relatou o drama vivido pela população.
Crusoé
Logo depois, Teixeira entrevistou a opositora María Corina Machado, uma das vozes mais críticas contra a ditadura de Maduro. 
Ela afirmou que o confronto entre a população e o ditador era inevitável:
“O regime criminoso de Maduro e seus colegas já começou a cair. O colapso da ditadura é irreversível. Mas como eles têm uma mentalidade criminosa, estão dispostos a fazer qualquer coisa e semear a destruição somente para ganhar mais um dia de vida. Cada dia que passa é muito doloroso para a Venezuela

. E, a cada minuto, a capacidade de Maduro fazer uma negociação real com a oposição também diminui. O ditador já não pode mais governar porque não tem recursos e nem liderança dentro das Forças Armadas. As únicas coisas que lhe sobram são a repressão e o medo.”
Em outra reportagem, publicada no início deste mês de abril, a situação de penúria em que vive o povo venezuelano é descrita com precisão por Duda Teixeira.
É um resumo detalhado que mostra a que ponto chegou o descalabro proporcionado pela ditadura chavista.

Leia este trecho: 

“Entre a população, o apoio a Maduro não passa de 10%. Os apagões desde o início de março pioraram ainda mais a realidade do povo. ‘No primeiro blecaute, ficamos 100 horas sem luz. No segundo, três dias. No terceiro, foram doze horas. O quarto e o quinto duraram nove horas cada’, diz Fabiola Solis Caballero, de 53 anos, que vive em Santa Paula, um bairro de classe média em Caracas. Sem eletricidade, as prefeituras e os prédios não conseguem bombear água para os quarteirões e andares mais altos. Cozinhar ou tomar banho ficou quase impraticável. Em diversos bairros do país, incluindo os mais chavistas, pessoas saíram com baldes de plástico às ruas, para protestar contra a falta de água e de luz. A maioria das manifestações foi reprimida a bala por paramilitares armados, os colectivos. Em quatro dias, 47 pessoas foram presas.” 

É um retrato fiel — e cruel — sobre as condições dramáticas em que vivem os venezuelanos sob o jugo de um ditador.
São informações que nos ajudam a compreender como e por que a Venezuela chegou a essa situação caótica.
Na Crusoé, você sempre esteve a par do que acontecia com os nossos vizinhos.E vai continuar sempre muito bem informado sobre os próximos capítulos. 

O regime que vem castigando a Venezuela há tanto tempo parece se aproximar de um desfecho.
Que pode, inclusive, gerar ainda mais violência em todo o país.

 

Adicionar comentário