Exército lembra anistia para criticar livro
Após reunir-se durante horas, o Alto Comando do Exército emitiu nota em que lembra a Lei de Anistia para criticar o livro "Direito à memória e à verdade", acusando a o regime militar de mortes e torturas, cujo lançamento foi chancelado pelo presidente Lula e o ministro Nelson Jobim (Defesa). A assessoria do ministro jura que a nota "foi negociada" com Jobim, mas fontes militares não confirmam essa versão, até porque Jobim estava a caminho de Brasília, em um avião.    
Exército reage e discute declaração de Jobim
O Comando Militar do Leste pediu ao Comando do Exército uma "reunião urgente" para "avaliação dos últimos acontecimentos envolvendo declarações do ministro Nélson Jobim" (Defesa). A reunião se realiza há horas em Brasília. No lançamento do livro "Direito à memória e à verdade", acusando a o regime militar de mortes e torturas, Jobim avisou que "haverá reposta" em caso de reação de militares ao livro. Ele desembarcou em Brasília, no começo da noite, preocupado com os desdobramentos da reunião. 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar