Extraído do texto de Carlos Alberto Cordella, com o título ´´A FANTASIA DO GENERAL´´, referindo-se ao Ministro da Defesa Nelson Jobim, bem de acordo com a linguagem popular dos ´´pagos´´.
 
 
 
 

´´...Sabedor que o senhor um gaúcho de nascimento, mas não na alma, vou dedicar-lhe algumas palavras: "Índio véio, tu não estais a tratar com mangalaços. Tua fala de metido a arrebentar os mondongos é cousa de bagual parido as avessas. Teus métodos pouco ortodoxos só servem para bailar com os pés trocados. Teu palavreado é xucro. Esse negócio de três colhões e aporreado metido a macho é como nadar de poncho. Em mulher e cavalo novo não se mete a espora. Te abanques no más e vamos levar um palheiro que teu negócio está mais pra romance de pelego. Um velho amigo, analista em Bagé te recomendaria uma barranqueada a céu aberto. Te digo mais, pra ser um bom milico leva tempo e é por toda vida, pra ser Ministro dois segundos. Tu estás Ministro, nós, ao contrário, somos milicos até morrer. E morremos por convicção, não pelo ego ou notoriedade . Pare de bater matraca e provocar surungo. Não te fresqueia tchê, que somos pacatos mas fomos criados guachos. Pare de bufar e berrar e vá chinear um pouco, que tu não passas de um lasqueado acostumado a dar comício pra ginete. Toma um mate! E não esqueça que é pelo toque da gaita que se aprende a dançar. Não te fresqueia índio véio, que tu estais mais pra boi do que pra touro. Oigalê!"...

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar