Pesquisado pela editoria do site www.averdadesufocada.com
 Apesar do fracasso da "Guerrilha de Copacabana", as críticas ao imobilismo do PCB faziam com que POLOP se apresentasse como a opção revolucionária do momento.
No inicio de1965, os ex-marinheiros e ex-fuzileiros da POLOP, que haviam sido presos, já estavam soltos e na clandestinidade. A organização, impulsionada por sua base militar, reiniciava o planejamento da luta armada, apoiado na doutrina do "foco guerrilheiro".
Na busca de sustentação financeira, a direção da POLOP, através do ex-marinheiro Antonio Duarte dos Santos, entrou em contato com Brizola e seus liderados,  surgindo, daí, promessas de apoio mútuo entre as duas facções.
 Em 1960, o núcleo leninista do Rio de Janeiro, que representava a corrente da esquerda marxista independente e publicava a revista "Movimento Socialista", juntando-se a dissidentes do Partido Socialista Brasileiro (PSB), elaborou um documento propondo a criação de um "partido revolucionário da classe operária" e apresentou um projeto de estatuto.
À proposta do grupo do Rio de Janeiro, juntaram-se a "Liga Socialista" de São Paulo, membros da "Mocidade Trabalhista" de Minas Gerais, e elementos da Bahia, de Goiás, de Brasilia, de Pernambuco e do Paraná.
Texto completo
 História/ Documentos secretos da Aeronáutica indicam que dissidentes ligados ao militante comunista tiveram , durante os anos de chumbo , treinamento de guerrilha em fazendas próximas à capital
Documentos confidenciais da Aeronáutica revelam que, entre 1967 e 1970, comunistas ligados a Carlos Marighella e à organização Var-Palmares, à qual pertenceu a presidente Dilma Rousseff, atuaram em Brasília e no Entorno. Um dos grupos armados chegou a montar campos de treinamento em Paracatu.
CT de Marighella no Entorno
Documentos secretos da Aeronáutica indicam que dissidentes ligados ao militante comunista tiveram, durante os anos de chumbo, treinamento de guerrilha e de armas em fazendas próximas à capital
Por Edson Luiz - Correio Braziliense - 15/04/2011
Militantes comunistas ligados a Carlos Marighella e a organização guerrilheira Var-Palmares atuaram em Brasília e no Entorno do Distrito Federal entre 1967 e 1970.
 
     Theodomiro Romeiro dos Santos
Vasculhando o Orvil PCBR
  
A História sem ficção, nem omissão
 Matéria  pesquisada pela editoria do site     www.averdadesufocada.com
Em janeiro de 1970, foram presos três integrantes do Comando Central do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário - PCBR - Nicolau Tolentino Abrantes dos Santos, Augusto Henrique Maria Dáurelle Ollivier, Jacob Gorender. Apolônio de Carvalho, também do CC , foi preso em 28 de fevereiro.
Texto completo
 15/04 - Pojeto Orvil  AC/SP - ALN
Complementando à reportagem publicada no Correio Braziliense
"CT de Marighella no Entorno"
Agrupamento Comunista -  AC /SP se explande para o Planalto Central
Pesquisado pela editoria do site  www.averdadesufocada.com
As idéias de Marighela - revolucionário desde 1934, filiado ao PC do B -, encontraram na agitação do meio estudantil de 1967/68 o ambiente favorável para se propagarem. Em pouco tempo, a "Ala Marighela", como era mais conhecido o AC/SP, ganhou adeptos e cresceu. Várias lideranças surgiram durante as agitações.que sacudiram o movimento estudantil em 1968.