A casa está desmoronando!

Operação Placebo da Polícia Federal teve início na manhã desta terça-feira (26) e cumpre mandados na residência do governador Wilson Witzel.

As suspeitas são de desvios na Saúde do RJ para ações na pandemia de coronavírus.

No total são 12 mandados de busca e apreensão - um deles no Palácio Laranjeiras.

A operação foi autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), responsável por ordenar ações contra governadores.

Equipes também foram mobilizadas para a casa onde Witzel morava antes de ser eleito, no Grajaú, e no escritório de advocacia do governador, que é ex-juiz federal. Quinze equipes da PF participam da ação.

As investigações foram iniciadas no Rio pela Polícia Civil, pelo Ministério Público Estadual e pelo Ministério Público Federal e apontam para a existência de um esquema de corrupção envolvendo uma organização social contratada para a instalação de hospitais de campanha e servidores da cúpula da gestão do sistema de saúde do estado.

Giornale di Paulista: 07/20/15
Aileda de Mattos Oliveira
13 de mai. de 2020
O governador Wilson Witzel, cuja imagem está mais borrada do que as paredes desse Rio de Janeiro enjeitado, é um mau atirador. Quando fala e quando age, dá sempre um tiro no pé. Por isso, canta no ouvido do prefeito, Marcelo Crivella, sempre com um ar de sonolência, o que ele, governador sabe que, se fizer, não terá mais pés para caminhar.
Crivella, hoje, até segunda-feira, fechou a espinha dorsal da Tijuca, a Rua Conde de Bonfim. Os ônibus alteraram o itinerário levando os passageiros para os ‘confins do judas’ ou “para onde o diabo perdeu as botas’. Para não dizer que o bairro do governador, Grajaú, iria ser privilegiado, fechou uma praça.