1964 - UMA VISÃO HISTÓRICA
Sérgio Pinto Monteiro*
Há cinquenta e seis anos, o Brasil enfrentou um período de turbulência político-institucional em que as forças armadas brasileiras foram chamadas a intervir para evitar a instalação, em nosso país, de um regime de governo incompatível com os princípios e valores que forjaram a nacionalidade. Tentar reescrever a história daqueles dias ao arrepio da verdade, além de impatriótico, é missão impossível. A análise da evolução dos acontecimentos da época, os inúmeros registros da mídia, a vasta literatura existente sobre o período, os depoimentos de pessoas que viveram e participaram daqueles eventos e, principalmente, a farta documentação disponível, inviabilizam as frequentes tentativas sectárias de alterar o óbvio histórico.
É incontestável que nos idos de 1964 uma parcela pouco expressiva - mas fortemente atuante - da esquerda brasileira, a exemplo da sua desvairada tentativa na chamada Intentona Comunista de 1935, buscava a implantação no Brasil de um regime sindicalista totalitário, de modelo cubano-soviético, objetivo que tem sido admitido, inclusive explicitamente, por diversos líderes e participantes daquele movimento.

MINISTÉRIO DA DEFESA
Ordem do Dia Alusiva ao 31 de Março de 1964   
Brasília, DF, 31 de março de 2020.
O Movimento de 1964 é um marco para a democracia brasileira. O Brasil reagiu com determinação às ameaças que se formavam àquela época. 

Vice-Presidente Hamilton Mourão
03/07/2019
REUTERS/Adriano MachadoLeia a respeito no Livro A Verdade Sufocada  18ªreedição  autor Cel Carlos Alberto Brilhante Ustra 
Vice-presidente é o segundo representante do alto escalão do governo a saudar a data

31 MAR2020
O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, usou sua conta no Twitter para publicar uma mensagem exaltando a Contra Revolução  que iniciou o período do Regime Militar no Brasil. A intervenção militar no País, que começou a partir de um movimento iniciado na noite de 31 de março de 1964 e na madrugada de 1º de abril, completa 56 anos nesta terça-feira, 31.
Ministro diz que a Contra Revolução de 64 é "marco para a democracia

Fernando Batalha e demais,

Eu vivi naquela época. Conheci as perturbações de antes de 1964: greves na Central do Brasil, agitações na Petrobras, paralisação dos portos do Rio de Janeiro e Santos, e muitas outras. Vi o Brasil sendo transformado (gradativamente) em uma republiqueta comunista, para se igualar a uma Cuba ou às ditaduras comunistas da Europa Oriental. Os ditadores assalariados de Moskow diziam "república democrática", mas nem eles sabiam o que era democracia.