Recebido por e-mail

Caros amigos e amigas, conforme é do conhecimento de todos vocês a Revolução de 31 de Março completará cinquenta anos no corrente ano; e já estão sendo divulgadas inúmeras reportagens e artigos com objetivo de denegri-la. Uma das provas é o “chavão” principal que os meios jornalísticos propalam: 21 ANOS DE ESCURIDÃO.

Não temos nenhum poder político, nenhuma representatividade no Congresso e nem qualquer abertura nos meios de comunicação para contrapormos nossos argumentos às veleidades e calúnias que são diuturnamente levantadas pela “esquerda caviar” e petista.

Não se ouve e nem se vê qualquer análise, referência ou atitude favorável ao Movimento de 64. A principal causa da Revolução  — a queda do governo comunista, sindicalista e incompetente do Jango —  não é notada e nem sequer comentada. O apoio total da sociedade brasileira ao Movimento, apregoado por manchetes de inúmeros jornais da época, hoje sofre ataques que visam apagá-lo de nossa história; e um deles é a ignóbil mudança de opinião, como aconteceu recentemente com a editoria do jornal O Globo. A visita da presidenta Dilma a Cuba e a sua submissão prestimosa ao comunista Fidel Castro demonstram claramente o regime que estaríamos sujeito, caso o Revolução não fosse vitoriosa.

A possibilidade de nos reunirmos em praça pública é temerária e o bom senso manda que isso não seja realizado. Haveria confrontos e, sem dúvida, com consequências imprevisíveis no momento em que vivemos cercados de bandoleiros, vândalos e arruaceiros da esquerda radical.

Está para ocorrer em Brasília e outras cidades do país, um simples e pacífico ato simbólico para demonstrar todo nosso orgulho, apreço e respeito pela Revolução. É uma ideia de um antigo instrutor da Academia Militar das Agulhas Negras, baseada numa manifestação ocorrida há anos atrás na cidade de São Paulo, em comemoração à Revolução Constitucionalista de 1932. Este ato simbólico consistirá numa ruidosa saudação advinda de salva de foguetes, em hora e data marcadas.

Poderemos também realizá-lo de nossas residências, sem qualquer possibilidade de confrontos ou atitudes agressivas, exatamente na mesma hora e data. Certamente será uma magna demonstração de nossa parte para a nossa sociedade em prol daqueles que apoiaram, apoiam e apoiarão sempre a Revolução de 1964. A hora foi adrede escolhida, pois muitos civis e militares simpáticos a esse ato público já estarão em suas residências. 

DATA: 31 DE MARÇO DE 2014 – SEGUNDA-FEIRA  -  HORA: 20:00H

Comments powered by CComment