Imprimir
Categoria: Diversos
Acessos: 1860

 
  A.C. Monteiro
 Advogado
             

 É isso mesmo, “choveu no molhado”! Todos nós já sabíamos que os integrantes do famigerado Black Bloc, que atuam nas ruas do Rio de Janeiro e de São Paulo, infiltrados nos movimentos sociais pacíficos, sempre estiveram a serviço de ativistas que pretendem implantar no Brasil uma ditadura do proletariado, nos moldes praticado em Cuba, onde o povo vive nos “caldeirões do inferno”, enquanto que e a elite cubana desfruta nababescamente dos prazeres que o mundo oferece, inclusive com o beneplácito do Governo brasileiro que, ultimamente, tem derramado milhares de reais aquele país.

Não possuem ideologia, simplesmente são pagos para tumultuar e amedrontar aqueles cujo norte é mostrar a sociedade os desmandos desse governo que ai está e dele reclamarem melhores condições de vida no que concerne à combalida saúde do povo brasileiro, transporte, segurança e, principalmente educação.

A máscara caiu com o brutal assassinato do jornalista Santiago Andrade, da TV Bandeirante, que cobria aquele movimento acontecido no Rio de Janeiro.

Identificado e preso os autores daquela barbárie que nada têm haver com o desiderato daqueles que os contrataram, restou demonstrado estreme de dúvidas que ativistas de partidos políticos encontram-se por trás dessas ocorrências e que precisam ser urgentemente identificados e punidos na forma da lei, conforme declarou os referidos meliantes

Tais indivíduos a exemplo dos autores direto do referido crime, hoje encarcerados e que devem ser punidos dentro dos ditames legais, também são partícipes indireto daquela malfadada empreitada que ceifou a vida de um pai de família que ali cumpria honestamente o seu ofício.   
             
  Identificá-los e puni-los como co-autores do crime em foco é um dever do Estado para com a sociedade e não somente responsabilizar dois paus mandados, regiamente remunerados por quem não tem compromisso com a democracia.

                            Compete, portanto, as autoridades encarregadas do inquérito que indiciou tais elementos, igualmente trazer para o ventre do “iter” procedimental em comento, provas suficientes da participação desses bandidos, identificando-os e incriminando-os na forma da lei.