09/03/14 - 31 DE MARÇO DE 2014
50 ANOS DE CONTRARREVOLUÇÃO DE 31/03/1964
DOCUMENTÁRIO – NÚMERO IX
            É o mínimo que você precisa saber para não estar fazendo papel de idiota, sendo levado de roldão pela política desastrosa do atual Governo Federal.
            Por Aluísio Madruga de Moura e Souza
            Após termos citados alguns líderes militares importantes do Movimento de 31/03/1964, passaremos agora a citar alguns líderes civis não menos importantes como os Governadores Ney Braga do Paraná; Magalhães Pinto de Minas Gerais; Carlos Lacerd.a do Rio de Janeiro; Adhemar de Barros de São Paulo e Ildo Menaghetti do Rio Grande do Sul, além de outras lideranças. No entanto, posteriormente, a ambição e a vaidade política de muitas dessas lideranças civis as conduziram ao confronto com o regime que se estabeleceu, o que levou a Contrarrevolução a cassar os direitos políticos de algumas delas por tempo determinado.

Aspecto também interessante diz respeito às reportagens que, vez por outra, são publicadas, afirmando sem nenhum comprometimento que 31 de março foi um Movimento de preparação interna que contou com o apoio externo proporcionado pelos Estados Unidos das Américas(EUA). São opiniões esparsas sem nenhum dado comprobatório e nem mesmo palavras de convencimento. Pura especulação! Assim, até o momento, o que é lícito entender é que havia, isto sim, uma grande preocupação dos EUA no que diz respeito aos rumos que o Governo  brasileiro tomaria e a torcida e desejo pelas mudanças dos rumos que até então o Brasil vinha trilhando. Então, até que se prove ao contrário, cremos que a Contrarrevolução de 1964 teve preparação pouco consistente em consequência dos acontecimentos que se precipitaram e execução exclusivamente interna, sem nenhum apoio externo como alguns jornalistas especulam, requentando de tempos em tempos reportagens, uma técnica muito utilizada pelas esquerdas para se manterem na mídia. Utilizam-se do princípio de que uma mentira utilizada uma vez como verdade permanecerá mentira, enquanto que uma mentira utilizada muitas vezes como verdade acabará por se transformar em verdade. E a atual Comissão Nacional da Verdade, ouvindo apenas uma das partes envolvidas que os diga.

Insisto! É sempre bom repetir no fato de que grande parte da nossa mídia que hoje está infiltrada pelas esquerdas, quer seja ela representada por adeptos da luta armada ou não visando a tomada do poder, vive nos últimos tempos falseando a verdade, mentindo e criando fatos inexistentes. Outrora, por estar livre dessa infiltração apoiou a Contrarrevolução por muitos e muitos anos. Quem permanecer com dúvidas basta ler os editoriais  dos principais jornais, até os idos de 1980, tais como o Correio do Povo, Estado de São Paulo, Folha da Tarde, Correio da Manhã e jornal do Brasil, além de revistas importantes.

Atualmente esta mesma mídia também muito tem falado sobre as ações das Forças Legais, na grande maioria das vezes, distorcendo os fatos. Mas não demonstram nenhum interesse em investigar as ações das guerrilhas urbanas e rural e atos de terrorismos como sequestros, assassinatos seletivos ou não, sequestros de aviões, de embaixadores em troca de presos políticos, ataques a quartéis em busca de roubo de armas  e outras ações também já citadas. Ações estas realizadas, para mim por marginais piores dos que os atuais e que hoje recebem indenizações faraônicas do Estado, às  custas do contribuinte, no caso eu e você. Em verdade pretendiam tomar o poder e mudar o regime por intermédio da violência revolucionária.

Embora a imprensa nos dias atuais procure minimizar os atos de terrorismo realizados pelas esquerdas, não os explorando, bombas explodiram em vários pontos do território nacional e sequestros de diplomatas foram realizados com o objetivo destes serem trocados por terroristas presos. Além disso, como a maioria de seus quadros vivia na clandestinidade e necessitando de dinheiro para sobreviver passaram a assaltar bancos, carros pagadores, supermercados e até cobradores de ônibus, vitimando pobres chefes de famílias em busca de recursos para patrocinar suas ações delinquentes. Seguiu-se então o terrorismo seletivo, com vários assassinatos, como, por exemplo, o de um capitão americano na frente de sua esposa e filhos ainda crianças  que cursava a USP, em face de acordo entre países, por o terem confundido com outro militar americano.

Amanhã dia 10/03/2014 voltaremos a nos encontrar.         

Comments powered by CComment