31 DE MARÇO DE 2014
50 ANOS DA CONTRARREVOLUÇÃO DE 31/03/1964
DOCUMENTÁRIO – É     o mínimo que você precisa saber para não estar fazendo papel de idiota, sendo levado de roldão pela política desastrosa do atual Governo Federal. ..
            Por Aluísio Madruga d e Moura e Souza.
“Ditadura Militar” e “ Anos de Chumbo”. Certamente o leitor(a) vai concordar comigo que ditadura seja ela militar ou civil nunca é boa e por esta razão deve sempre ser condenada. Porém ditadura na acepção da palavra como já citamos diz  respeito a um governo no qual todos os poderes do Estado se concentram nas mãos de uma única pessoa. Ora, também como já citamos e pelo que nos consta, no Brasil, em momento algum o Poder Judiciário foi fechado ou nele  houve interferência do Executivo, sendo que  o Congresso foi fechado por um curtíssimo período de tempo.
É verdade que vivemos em curtíssimos espaços de tempos períodos de exceção. Porém,  dizer que vivíamos em  uma “Ditadura Militar“ é realmente dentar ignorar  --o que é uma falácia- o regime que existiu na União Soviética, que embora abrandado permanece até hoje, o de Cuba e o da China, além de outros. Ou então, o que  é mais provável,  é estar mentindo em defesa de uma ideologia que tentou em três oportunidades anteriores, implantar o comunismo no Brasil, sem sucesso, e que seus adeptos apoiados por corruptos  que buscam sempre obter vantagens para si e os seus continuam tentando até hoje.

Quanto ao período que passaram a designar como “Anos de Chumbo”, certamente que ele existiu. “Anos de Chumbo” seria a designação certa? Não temos certeza. O que sabemos é que como já ficou claro é que foi um período de emprego da Luta Armada desencadeada pelas organizações terroristas, no qual ocorreu um grande volume de ações violentas praticadas por brasileiros, na área urbana e rural, treinados no exterior às expensas do Movimento Comunista Internacional e que muito enlutou a família brasileira. Vivíamos então, é bom que fique bem claro, um período de guerra revolucionária que não foi iniciado pelo Governo e muito menos pelos militares. E a estes coube defender a lei estabelecida, as estruturas da ordem legal e a vida de inocentes. E nenhuma estrutura ou organização consegue combater e conter uma estrutura que se utiliza de ações violentas sem que empregue outra ação, pelo menos, igual e contrária. Ainda de maneira desorganizada observem o que está ocorrendo no momento no Brasil. Você terá que se definir.

            Foram vinte anos de Governo da Contrarrevolução de 31 de março de 1964. Vamos, a partir de agora, fazer uma rápida avaliação deste período , citando momentos difíceis  pelos quais ela passou e, ainda, caracterizar que os referidos vinte anos foram altamente positivo para o País.

            Como já antecipamos em outra oportunidade, a Contrarrevolução se fez porque essa foi a vontade da população brasileira e porque esse era o anseio de preservação das instituições democráticas, ameaçadas pela radicalização ideológica, greves, desordem social e corrupção generalizada.

            Em 1971, portanto sete anos após 1964, embora ainda permanecesse a existência de ações terroristas ainda em desenvolvimento, o Brasil vivia um período econômico que ficou conhecido como o “Milagre Brasileiro” e a desordem social e a corrupção já estavam sobre controle. No início de 1974, as organizações terroristas brasileiras já estavam derrotadas e sem qualquer capacidade de reorganização. Restava apenas o episódio que ficou conhecido como guerrilha do Araguaia, porém já bastante combalido e praticamente no seu final.

            A calma tinha voltado ao País. Os operários trabalhavam em paz e, ao contrário do que está ocorrendo hoje, as pessoas já não tinham receio de transitar pelas vias públicas, porque não corriam o risco de serem sequestradas, roubadas ou mortas em atentados sem até mesmo saberem a razão.

 Amanhã dia 13/03/2014, conversaremos sobre as razões pelas quais o General Humberto de Alencar Castelo Branco se tornou Presidente e as pelas quais a Contrarrevolução permaneceu no Poder um tempo maior do que realmente desejava. Conto com vocês.   


 

Comments powered by CComment