14/03/2014 - 31 DE MARÇO DE 2014
50 ANOS DA CONTRARREVOLUÇÃO DE 31/03/1964
DOCUMENTÁRIO – ARTIGO XIV
É o mínimo que você precisa saber para não estar fazendo papel de idiota, sendo levado de roldão pela política desastrosa do atual Governo Federal.
            Por Aluísio Madruga de Moura e Souza.
            Tendo assumido uma Junta Militar mudanças no calendário já previsto ocorreram. Assim é que, pelo AI-16 de 14 de outubro de 1969, foi determinada a vacância do cargo de Presidente, convocadas eleições indireta, marcado o pleito para o dia 25 e posse do novo Presidente para 30 de outubro, tendo sido suspenso o recesso parlamentar a partir do dia 30 do mesmo mês. A ARENA aclamou os nomes do novo Presidente e do Vice-Presidente, respectivamente dos Generais Emílio Garrastazu Médici foi o almirante Augusto Rademaker, enquanto que a oposição representada pelo MDB, em reunião informal, também reconheceu a legitimidade do processo.

            Não há dúvidas que  muitos outros momentos difíceis a Contrarrevolução enfrentou, mas possivelmente estes tenham sido os piores.

 

            É interessante verificar, em conversas, como muitos ao retrocederem no tempo, perguntam à si mesmos se a Contrarrevolução não permaneceu no Poder além do tempo necessário. Outros, até com eloquência, afirmam imediatamente que sim. Não é o que penso.

            Certamente se o Movimento tivesse durado um espaço de tempo menor no Poder teria sido melhor para o País como um todo e, em particular principalmente para as Forças Armadas, que teriam tido um desgaste bem menor. Se isto não ocorreu, entretanto, foi exatamente devido à intolerância das esquerdas com seus atos tresloucados de emprego da Luta Armada em busca de seus objetivos e também pelas ações irresponsáveis de políticos inescrupulosos, aliás, exatamente como temos observado na atualidade. Não fosse por isso, por certo o Brasil teria retornado à normalidade política em um menor espaço de tempo, porque como já demonstramos  anteriormente este sempre foi o desejo da Contrarrevolução.

            Nessas mesmas conversas, por vezes alguns perguntam se a Contrarrevolução cometeu erros e enganos e qual teria sido o maior entre eles. Ora, é claro que sim. No meu entender cometeu muitos erros e enganos. Mas pergunto. Quem não erra? Porém se nos fosse possível colocá-los em uma ordem de grandeza eu diria que possivelmente o erro capital da Contrarrevolução talvez tenha sido não ter se preparado para desmistificar relatos mentirosos e facciosos, em matérias jornalísticas e televisivas escritas por comunistas notórios, em documentos de partidos de esquerda e, acima de tudo, não ter se preparado para refutar de maneira inequívoca declarações fantasiosas de militantes radicais. Aqui também não posso deixar de afirmar que como acontece em qualquer grande grupo entre nós também existiu aqueles que utilizando - se do anonimato usaram de força desnecessária para atingirem seus objetivos. Mas guerra é assim mesmo. E os que estão nos acompanhando  podem acreditar. Nós estávamos em plena Guerra Revolucionária.

Tivessem os Governos da Contrarrevolução escrito e publicado um livro logo ao término do Movimento de 1964, contando com os mínimos detalhes tudo o que ocorreu, principalmente sobre as bárbaras ações cometidas pelas organizações terroristas, muito do que ocorre hoje no Brasil teria sido evitado. Várias das lendas contadas hoje pelas esquerdas já teriam sido desmistificadas. Mas na atualidade interessa a mídia, isto sim, valorizar a esquerda que está no Poder para não perder do Governo a verba de publicidade que chega a milhões de reais, mesmos que para isso tenha sempre que negar a verdade e denegrir sempre as Forças Armadas, inclusive ocultando ações altamente positivas que estas  realizaram em pról da Nação. Também há os que afirmam na imprensa que ao tempo dos Governos militares as Forças Armadas aproveitaram a situação para auferirem vantagens o que pode ser considerado como uma mentira deslavada. Amanhã dia 15/03/2014, prosseguiremos contrapondo-nos a estas últimas afirmações da imprensa. Aguardo vocês.   

            

 

 

Comments powered by CComment