Por Maria Cristina Santini 

Li, ouvi, com espanto e indignação, relato sobre o assassinato do Cel Manhaes....Diante de um "jogo de empurra", a Ministra Maria do Rosário (!) acha tudo muito "suspeito" e "estranho" e pede rigor e rapidez na apuração dos fatos....há os que dizem que foi obra do Exército por ter falado demais, há os que acusam o PT por revanchismo, há os que dizem, simplesmente, que foi "queima de arquivo"....A ONU, diante de tantas "prováveis hipóteses", pede apuração urgente e, PRICIPALMENTE, imparcial dos fatos

A pergunta que não quer calar é:  A QUEM interessava essa morte?

 

Como brasileira, gostaria de pedir à Comissão da Verdade, aos Direitos Humanos e a todos que adoram acusar as Forças Armadas por todos os problemas brasileiros que deem à cidadã Cristina B. Manhaes, esposa (viúva) do Coronel, todos os privilégios e direitos que disponibilizam aos bandidos/assassinos/corruptos/guerrilheiros, afinal, o Coronel Manhaes era um brasileiro, oficial do Exercito, que participou da Revolução Democrática de 64 cumprindo ordens e lutando por um ideal, ou seja, a não comunização do Brasil...se houve excessos, a Justiça com certeza deverá apontá-los e punir seus mandantes, porém, num pais onde todas as minorias tem seus direitos preservados e bravamente defendidos por todos que militam por "Direitos" humanos, peço que não se esqueçam de defender essa Senhora, que foi obrigada a assistir a tortura e morte de seu marido sem poder reagir....afinal se os piores indivíduos no Brasil são tratados com toda  dignidade possível, com direito a primeira página nos principais jornais e manchetes nos telejornais (para dar sua versão dos fatos) por que não dar esse destaque a alguém que, no cumprimento de seu dever, se viu obrigado a tomar atitudes que nem sempre condiziam com sua vontade própria? 

Justiça para todos, direitos iguais para todos, apuração fiel dos fatos para todos...JÁ!

Comments powered by CComment