Já são 29 os agentes mortos este ano; sete deles foram atingidos em serviço
Tais Mendes - O Globo - 26 Maio 2014   

Cerca de 200 pessoas, entre parentes e amigos de policiais militares mortos, fizeram ontem uma caminhada pela orla de Copacabana. Batizado de "A vida do policial é sagrada como toda vida é", o protesto teve como objetivo dar visibilidade para assassinatos de policiais "que nem chegam a ser publicados pela imprensa".

- A gente quer conscientizar a sociedade para que as pessoas lembrem que estamos sendo vítimas da mesma violência que combatemos - informou a cabo Flávia Lousado, do Batalhão de Grandes Eventos, organizadora do movimento.

Andréa Pontes, de 42 anos, é a esposa do sargento Eduardo Rogério Soares, reformado do 1º BPM (Estácio), que morreu no dia 28 de fevereiro deste ano durante um assalto a um posto de gasolina em Itaguaí. Ela também acompanhou o ato.

- Ele estava abastecendo o carro quando os bandidos anunciaram o assalto. Ele nem reagiu porque estava com a neta de dois anos no carro, mas quando foi identificado como policial acabou morto pelos bandidos - contou Andréa, uma auxiliar de escritório desempregada.

Esposa do soldado Marcelo Poydo, que morreu aos 30 anos, em abril deste ano, Michele Nascimento de Moura, de 26, levou o filho do casal, de 7, para participar da caminhada. Caio estava vestido com farda do Bope.

- O sonho dele é ser policial também, mas não sei se aguentaria mais esse sofrimento - disse Michele.

Ela afirmou que o marido foi atingido quando fazia uma ronda numa favela da Pavuna.

- Até agora não descobriram os assassinos. Ele foi o único baleado dentro da patrulha com o tiro que atingiu a guarnição - lembrou Michele.

Mãe do soldado José Ribamar Freire Júnior, que morreu um dia após completar 26 anos, em 6 de setembro de 2013, Maria de Souza, de 47 anos, se disse insatisfeita com o descaso do estado:

- Ainda não recebi auxílio financeiro como dependente. Ele não tinha mulher nem filho, estou pagando psicólogo do meu bolso. Está sendo muito difícil para mim, era meu filho mais velho e me sinto morta. Eu era uma pessoa saudável e agora sobrevivo à base de remédios.

A Polícia Militar informou que 29 policiais militares morreram este ano no estado. Desse total, sete estavam a serviço, e 22, de folga. Durante todo o ano de 2013 foram 44 mortes (18 de PMs em serviço e 26 de folga). Os feridos em serviço neste ano já foram 70. Em 2013, 349.
 

Comentários  
#2 domenico 28-05-2014 23:06
É triste e preocupante que os nossos policiais sejam assassinados pela bandidagem que corre solta e até debocham das Forças de combate à marginalidade ! O Brasil está se transformando numa "casa" de bandidos e os cidadãos de bem que se mudem para outro terreiro !
#1 Carlos de Carvalho 26-05-2014 19:09
Foi um ato de coragem e bravura em meio ao avanço da bandidagem apoiada pelos governos PETRALHAS que quer aprovação da PEC 51. PARABÉNS aos manifestantes.
Adicionar comentário