GENERAL LUIZ EDUARDO ROCHA PAIVA (Res)

Existe uma orquestração socialista para que o EB peça desculpas à Nação por violações cometidas por alguns militares, na defesa da lei, da ordem e das instituições, como se elas fossem uma norma institucional e não desvios individuais. O desgaste do EB visa imobilizar a Instituição, para viabilizar a estratégia gramcista do Programa Nacional de Direitos Humanos-3 para tomar o poder.
E o que dizer do PCB, PCdoB e duas dezenas de grupos armados, cujo propósito era implantar um Estado totalitário socialista e que, com tal propósito, empregavam o terrorismo, sequestro, tortura e execuções?

Os socialistas intensificaram a luta armada quando o governo Costa e Silva ensaiava a abertura democrática. A resposta de Marighela foi dada no Manual do Guerrilheiro Urbano onde ele prega: “Atacando de coração essa falsa eleição e a chamada ‘solução política’ (-) o guerrilheiro urbano tem que se fazer mais agressivo e violento, girando em torno da sabotagem, terrorismo, expropriações, assaltos, sequestros e execuções”. Pois esse falso herói é o ícone da esquerda e vem dando o nome a locais públicos em todo o Brasil. Os socialistas não evoluíram.

Eles não pensam em pedir desculpas por terem atrasado a redemocratização, criado um conflito que enlutou muitas famílias, cometerem crimes hediondos e tentarem liquidar a democracia. Eles são os mestres da hipocrisia e da falsidade, pois condenam os adversários quando usam os mesmos métodos violentos, totalitários e liberticidas de agir, para tomar e manter o poder, que caracterizam o socialismo revolucionário. Mas o que esperar de quem professa o antivalor de que os fins justificam os meios?

Eles não têm legitimidade para fazer essa cobrança de quem os derrotou e anistiou, ao invés de promover um banho de sangue como eles fariam, pois assim foi o desfecho dos conflitos onde o socialismo venceu, a exemplo de suas matrizes orientadoras soviética, chinesa e cubana.

 

Comments powered by CComment