Gazeta do Povo Publicado
Por  Claudio Slaviero
Publicado em 18/06/2014
 
A vaia tomada pela presidente Dilma na abertura da Copa é sintomática. Pesquisa recente feita com empresários de vários setores mostrou que eles torcem para que Dilma não se reeleja. Entre as justificativas, enumeram: ela nomeou uma equipe ruim e inexperiente, postergou reformas estruturais, fez desonerações que não englobaram toda a cadeia produtiva, promoveu embates desnecessários com o setor privado, represou tarifas e, finalmente, porque é do PT.

O empresário Lawrence Pih, dos Moinhos Pacífico, ex-fã do PT, disse que nenhum dos pilares econômicos adotados pelo governo – superávit primário, meta de inflação e câmbio flutuante – foi atingido. E mais: a taxa de desemprego no país se encontra na faixa dos 12%, o Estado tem uma carga tributária de 37%, que, se somada ao déficit nominal de 4%, mais a participação no BNDES, Petrobras e fundos de previdência, representa cerca de 43% do PIB. Mas o governo só investe 2%. Onde estão os recursos?, questiona.

Para a escritora Adélia Prado, “vivemos uma ditadura disfarçada, com desmandos políticos”. Ela disse que a qualidade do Congresso é péssima e que a relação entre os partidos e o governo é baseada em chantagens, troca de favores. Segundo ela, a pulsação cívica está morta e os intelectuais, calados. Ninguém se manifesta ou aponta as falhas do PT. Pior: o país está sem rumo; os poderes, encurralados; não temos prioridades e a quem recorrer. Desilusão total.

O programa petista à reeleição segue velha ladainha, nada tem de novo. Não fizeram nada em uma dúzia de anos e agora prometem fazer. É risível quando eles falam em manter a soberania nacional. Qual? Este governo cedeu às exigências de republiquetas de banana, se ajoelhou e rezou pela cartilha bolivariana da Venezuela, Bolívia, Equador, Cuba, Argentina e Paraguai. Nas mãos do PT, o Brasil virou país de quinta categoria.

A reeleição de Dilma é uma ameaça. Ela, Lula, e o PT já disseram que irão regular os meios de comunicação, doa a quem doer. Em outras palavras, censura. Dizem que a mídia não respeita a presidente e que mente contra o governo, como no episódio do mensalão. Querem é calar a imprensa que investiga e divulga as falcatruas deste governo e de seu partido.

Dilma será conhecida como a presidente que maquiou índices, mentiu sobre a inflação e o desemprego, a que conseguiu quebrar a Petrobras, desmantelou a economia e manteve 39 ministros ninguém sabe pra quê. E, pobre alma, será lembrada como aquela que não conseguia dizer nada com coisa nenhuma em seus pronunciamentos. É despreparada, irascível e péssima gestora. Se fosse executiva de empresa, seria intratável, egocêntrica, que estimula a cizânia e desrespeita subalternos. Em pouco tempo levaria qualquer empresa à falência, como fez com a sua antiga lojinha de R$ 1,99 e com a Petrobras.

Dilma, Lula, o PT e seus vassalos estão destruindo os valores morais de uma sociedade digna. Dá vergonha de ser brasileiro. Faz com que brasileiros torçam contra sua seleção na Copa do Mundo, torçam para que tudo dê errado por causa desse desgoverno que acabou com a esperança de se ter um Brasil melhor. O que Dilma, Lula e o PT querem é o quanto pior, melhor, para poder implantar uma ditadura socialista em moldes defasados, promovendo a luta de classes, o revanchismo, a instabilidade jurídica, perseguindo o capital produtivo, com intervenção total do Estado na economia, controlando as instituições e censurando a imprensa. Respondo a Adélia Prado que sim, temos a quem recorrer: ao voto nas próximas eleições, para devolver a esperança ao brasileiro digno e honesto.

Claudio Slaviero, empresário, é ex-presidente da Associação Comercial do Paraná e autor do livro A vergonha nossa de cada dia.

Comments powered by CComment