Janaina Garcia - Direto de São paulo - Portal Terra-

      Manifestantes se reuniu no Largo da Batata em ato contra
      o governo  - Foto; Bruno Santos/Terra

 03/07/14 
Os manifestantes que participam de um protesto unificado na capital paulista percorrem a avenida Paulista no início da tarde desta quinta-feira. Por causa do movimento, o trânsito na via foi totalmente bloqueado no sentido Paraíso.
O grupo de aproximadamente mil pessoas saiu do Largo da Batata, zona oeste da cidade, no final da manhã. Ligados à Frente Nacional de Lutas (FNL) e aos sindicatos de trabalhadores da Universidade de São Paulo (USP) e dos metroviários, os ativistas pedem desde o reassentamento de cerca de 1 mil famílias sem teto à liberdade de dois manifestantes presos em um ato contra a Copa no último dia 23.
Pouco antes do protesto sair, trabalhadores da USP e integrantes da FNL fizeram um acordo para que faixas que pediam libertação de "presos políticos do PT" fossem retiradas da manifestação. O material era carregado por representantes do sem teto.

A avenida foi bloqueada pelo grupo de manifestantes

Segundo um dos coordenadores nacional da FNL, Claudemir Silva Novaes, os sem teto entregarão ao representante do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em São Paulo uma pauta que prevê, principalmente, o assentamento de cerca de mil famílias em 12 grandes áreas de Brasília e dos Estados de são Paulo e Pernambuco. O documento será levado até o escritório da Presidência da República em São Paulo, que fica na avenida Paulista. "O governo se comprometeu a regularizar essas áreas o mais rápido possível, o que ainda não ocorreu", disse.
"O movimento cogita ir andando até Brasília caso a resposta não venha logo", afirmou Novaes, que por outro lado, ressalvou que as negociações só devem ser finalizadas após as eleições. "Sabemos que alguns trâmites não são permitidos no período de eleição, mas passando essa fase vamos cobrar", completou.
No início da manhã, eles se reuniram contra o governo no Largo da Batata. O grupo, que marcha há 24 dias e já percorreu 450 quilômetros chegou à capital paulista ontem e recebeu o apoio de outros movimentos sociais e sindicatos, como os de funcionários da USP e dos Metroviários.
Os manifestantes protestam por reforma agrária, moradia, universidades públicas de qualidade e pedem ainda a libertação do aluno da USP Fábio Hideki Harano, detido em um protesto no mês passado, e pela readmissão dos 42 metroviários demitidos durante uma greve.
Manifestantes protestam contra o governo em ato unificado
A avenida foi bloqueada pelo grupo de manifestantes Foto: Janaína Garcia / Terra  Manifestantes chegaram à avenida Paulista no início da tarde Foto: Janaína Garcia / Terra  Bandeiras vermelhas dominaram o cenário na zona oeste  Foto: Janaína Garcia / Terra  O protesto ocorria pacificamente durante a manhã Foto: Janaína Garcia / Terra  Movimento dos Sem Terra veio do interior do Estado para participar da marcha Foto: Bruno Santos / Terra  Manifestantes se reúnem no Largo da Batata em ato contra o governo Foto: Bruno Santos / Terra  Grupo pede melhorias sociais ao governo federal Foto: Bruno Santos / Terra  Criança participa da concentração do ato no Largo da Batata Foto: Bruno Santos / Terra  Revitalizar São Paulo é a meta do Movimento Boa Praça Manifestantes protestam contra o governo em ato unificado Prédio comercial pega fogo em São Paulo; 
avenida foi bloqueada pelo grupo de manifestantes

Comments powered by CComment

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar