Escrito pelo Jornalista Vítor Vieira – Porto Alegre
A médica Ana Paula Ribeiro Rucks – CREMERS 28817 – foi na Delegacia da Mulher, em Porto Alegre, e registrou um boletim de ocorrência de agressão de seu colega Milton Simon Pires. Levou o boletim na direção do Grupo Hospitalar Conceição, e os diretores comunista e petista abriram um processo administrativo disciplinar contra o médico e o suspenderam imediatamente por 60 dias.

Deve estar uma perfeição o atendimento do Grupo Médico Hospitalar Conceição aos pacientes do SUS, para os dirigentes comunista e petista suspenderem assim um médico intensivista, que atende pacientes em estado grave, na UTI, por 60 dias. O processo é evidentemente de perseguição política.

 Ocorre que o médico Milton Simon Pires é um intenso crítico do petismo e do programa Mais Médicos. Ele tem uma forte página no Facebook, denominada “Inglorius Doctor”, na qual não economiza críticas ao petismo. Portanto, virou um alvo dos petralhas.

Ocorre que o doutor Milton Simon Pires registrou uma queixa na Polícia Civil mais de um dia antes da sua colega. E ela registrou uma queixa praticamente nos mesmos termos do seu colega. Qualquer estudante de Direito em primeiro semestre sabe que a suposta agressão que ela teria sofrido não deveria ser registrada na Delegação da Mulher.

Pois bem, o assunto foi à Justiça e agora o juiz diz o óbvio: o assunto não é da Lei Maria da Penha. Se a queixa original da médica Ana Paula Ribeiro Rucks é descabida, não existe, como é que, com base nela, a direção comunista e petista do Grupo Hospitalar Conceição, sem vacilação, abriu um processo administrativo e disciplinar contra o médico Milton Simon Pires? E mais, ainda: como o suspendeu preventivamente por 60 dias?

Quer dizer que, se tivesse sido ele a registrar no hospitar o seu boletim de ocorrência policial, a direção comunista e petista do Grupo Hospitalar Conceição teria imediatamente aberto um processo administrativo disciplinar contra a médica Ana Paula Ribeiro Rucks? E teria aplicado nela o “gancho” preventivo de 60 dias? Ora, a lógica elementar levar a crer que a direção comunista e petista do Grupo Hospitalar Conceição não faria isso.

Comments powered by CComment