Iván Ríos confirmou informação em comunicado fechado.
Mais cedo, chefe do grupo falou que mantinha compromisso com a paz.
Da France Presse
Farc dizem diz não saber sobre paradeiro de sequestrados
Compromisso das Farc com a paz na Colômbia está 'em teste', diz Santos
A guerrilha das Farc confirmou nesta terça-feira (18) a captura do general do Exército da Colômbia Ruben Alzate, do cabo Jorge Contreras Rodríguez e da advogada Gloria Urrego, interceptados no domingo por unidades rebeldes no Departamento de Chocó (oeste).

Observação do site www.averdadesufocada.com :
Se os militares não tivessem vencido as guerrilhas rural e urbana que aterrorizaram o Brasil nas décadas de 70 e 60, nós estaríamos em uma ditadura comunista nos moldes de Cuba ou na mesma situação da Colômbia, que luta com a guerrilha das Farc desde 1964.
 

"Depois de totalmente identificados - apesar de estarem vestindo roupas civis - os três foram capturados por nossas unidades por se tratar de militares inimigos se deslocando no exercício de suas funções, em uma área de operações de guerra", afirmou o Bloco Iván Ríos das Farc em um comunicado fechado na segunda-feira nas montanhas da Colômbia e divulgado no site www.pazfarc-ep.org

Poucas horas antes, o líder do grupo, Pastor Alape, disse em entrevista coletiva que não tinha informação sobre o sequestro do general colombiano, por causa da frágil comunicação na área rural onde o governo do país afirma que ele foi sequestrado. 

Pastor Alape também havia dito disse que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) seguem comprometidas com as negociações de paz que já duram dois anos em Havana e esperam que elas sejam retomadas em breve após o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, decidir suspender as conversas no domingo por conta do que ele afirmou ter sido o sequestro do general Rúben Dario Alzate. Alape é um dos sete membros do secretariado das Farc que participa das negociações de paz em Cuba. 

Desde o início de 2012, o grupo rebelde se comprometeu a não sequestrar mais civis, mas se reserva o direito de capturar policiais ou militares, considerados prisioneiros de guerra. 

O governo de Santos e as Farc iniciaram há dois anos em Cuba um diálogo de paz para tentar acabar com um conflito armado de mais de 50 anos, mas sem decretar um cessar-fogo na Colômbia. 

Esta é a quarta tentativa de alcançar a paz com as Farc, a principal guerrilha do país e a mais antiga da América Latina, criada em 1964 e que conta oficialmente com 8.000 combatentes, essencialmente mobilizados nas zonas rurais.

Comments powered by CComment

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar