FARC, tradicional aliada do PT e membro integrante do Foro de São Paulo, sofre mais uma derrota.    Ingrid com a mãe em base militar Colombiana.

"Operação foi absolutamente impecável", diz Ingrid Betancourt em 1ª declaração

Os ex-reféns chegaram a uma base militar da Colômbia, onde Ingrid Betancourt reencontrou sua mãe. Em primeira declaração, dada à rádio colombiana "Caracol, ela disse que a "operação foi absolutamente impecável". A franco-colombiana foi resgatada pelo governo colombiano das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), junto com 14 reféns, nesta quarta-feira, segundo anunciou o ministro da Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos. 

Texto completo

"Quero, em primeiro lugar, dar graças a Deus e aos soldados da Colômbia", disse Ingrid Betancourt, há pouco, à rádio do Exército colombiano, após ser resgatada.

 
Americanos libertados
Além de Betancourt, que estava seis anos seqüestrada, o governo colombiano libertou 11 militares e policiais colombianos e três cidadãos norte-americanos em uma operação denominada "Jaque" no departamento de Guaviare, sul do país. O ministro, em coletiva de imprensa, convidou jornalistas a falar com os ex-reféns na base militar de Tolemaida, centro do país, nas próximas horas.

A situação dos reféns, principalmente a de Betancourt, que tem nacionalidade francesa, havia mobilizado muitos governos e organizações de vários países.

O resgate aconteceu numa zona de selva do departamento de Guaviare, no sudoeste da Colômbia, informou Santos em entrevista à imprensa na sede do ministério da Defesa em Bogotá.

Ainda de acordo com as informações do ministro, militares teriam cercado o local onde estavam os reféns e convencido parte dos rebeldes a libertá-los de forma pacífica para evitar mortes. Segundo o ministro, ninguém ficou ferido na operação.

"Continuaremos trabalhando na libertação dos demais reféns. Apelamos aos atuais chefões das Farc para que libertem os outros e não sacrifiquem seus homens", disse Santos. "Esta operação não tem precedentes e deixa em alta a qualidade e profissionalismo das Forças Armadas Colombianas".

Betancourt e os três norte-americanos estavam entre os 44 principais reféns que as Farc queriam trocar por rebeldes aprisionados. Alguns deles são reféns há quase uma década. O governo diz que as Farc mantém outros 700 reféns.

Os reféns americanos eram três contratados do Departamento de Defesa dos EUA - Thomas Howes, Marc Gonsalves e Keith Stansell. O ministro da Defesa informou que dois guerrilheiros responsáveis por vigiar os reféns foram detidos.

As Farc começaram como um exército comunista de camponeses na década de 1960. O presidente colombiano Alvaro Uribe empurrou as guerrilhas para a defensiva com uma campanha de segurança apoiada pelos Estados Unidos, mas o grupo ainda faz combates, sequestros e promove tráfico de cocaína.

Operação de resgate
A operação foi organizada em três fases: a primeira consistiu na identificação da área em que os reféns eram mantidos pelas Farc, na   região de Guaviare, no sul da Colômbia, um "trabalho de inteligência e infiltração" da cúpula do grupo guerrilheiro e a segunda na operação de resgate.
 
Durante a ação foram capturados o guerrilheiro "César" e outro membro das Farc, que eram responsáveis pelos reféns resgatados.
 
O exército colombiano afirmou que não houve mortes durante o resgate.
A operação de resgate teve diversas etapas, que começaram com a fuga do policial John Frank Pinchao no ano passado, cuja busca começou a demarcar com maior precisão a área em que se encontrava o grupo de reféns.

Em fevereiro deste ano, durante a mesma busca, foi visto o senador Luis Eladio Pérez, que dias depois foi entregue pelas Farc. Depois foram vistos também os três norte-americanos libertados hoje.

Para fazer o resgate, militares colombianos enganaram os guerrilheiros responsáveis por vigiar os reféns, com uma suposta ordem para levá-los a um local no qual seriam deixados sob os cuidados do principal líder das Farc, Alfonso Cano, líder máximo da guerrilha desde maio último, após a morte do fundador do grupo, Pedro Antonio Marín, conhecido como "Manuel Marulanda" ou "Tirofijo".

Um helicóptero civil foi usado na operação, para tirar os reféns do local em que foram resgatados  "Estamos muito contentes, muito alegres, este é um grande golpe, que deve alegrar a todos e ao mundo inteiro", expressou o ministro à imprensa. "Sinto uma imensa alegria, admiração por nossos homens da inteligência do Exército, por nossos comandantes e um imenso orgulho de ser colombiano".
 
Sarkozy agradece a Uribe e pede às Farc que encerrem luta "absurda" .

Agências Reuters, Ansa, EFE, AFP e BBC Brasil

Observação:
Daqui  a alguns anos os terroristas das FARC, anistiados, vão pedir indenizações e pensões porque foram "perseguidos políticos" e não vai faltar algum governo socialista ou comunista para reconhecer como "justas" suas petições. Os militares, hoje, heróis, serão execrados publicamente, a exemplo do que acontece em alguns países sul-americanos.
Adicionar comentário