Jacornélio M. Gonzaga (*)
         Quando soube que o Sr Jaques Wagner iria assumir o Ministério da Defesa no dia dois de janeiro, não resisti, tirei o meu blazer de três botões do armário, cheirando a naftalina e dirigi-me ao Bloco Q da Esplanada.
         Honras militares, afagos, tapinhas nas costas, sorrisos mil. Nunca vi tanto três estrelas da Aeronáutica íntimos do novo Ministro. Devem ser colegas de CMRJ!
         Preparei meu gravador, fiquei esperando algo com a eloquência de um Cícero:
Qvosque tandem abvtere, Catilina, patientia nostra? 
         “Até quando, ó Catilina, abusarás da nossa paciência? Por quanto tempo ainda há de zombar de nós essa tua loucura? A que extremos se há de precipitar a tua audácia sem freio?”

 

         Não, Cícero seria deixado de lado. Os menos avisados poderiam confundir Lucius Sergius Catilina com alguma Catarina e as más línguas fazer alguma relação com a Anta Bujão de Gás. 

         Achei que, como JW está saindo do Governo da Bahia e enfrentou um motim da Polícia Militar, onde ele queria causar um “banho de sangue”, seu discurso deve ter o tom daquele proferido por Abraham Lincoln, em 19 de Novembro de 1863, na cerimônia de inauguração do Cemitério Militar de Gettysburg, local da batalha de mesmo nome.
         “Cumpre-nos, antes, a nós os vivos, dedicarmo-nos hoje à obra inacabada até este ponto tão insignemente adiantada pelos que aqui combateram. Antes, cumpre a nós, os presentes, dedicarmo-nos à importante tarefa que temos pela frente – que estes mortos veneráveis nos inspirem maior devoção à causa pela qual deram a última medida transbordante de devoção – que todos nós aqui presentes solenemente admitamos que esses homens não morreram em vão, que esta Nação com a graça de Deus venha gerar uma nova Liberdade, e que o governo do povo, pelo povo e para o povo jamais desaparecerá da face da terra.” 

         Fora de contexto! Como em Sucupira, o cemitério de JW não foi inaugurado em Salvador, pois, com a negativa do Gen G Dias ao seu pedido de invasão, não morreu ninguém para passar à história. 

         Tentei adivinhar, JW será o ministro que conduzirá os guerreiros (ele pensa), portanto, exemplo maior que Winston Churchill, ao povo inglês, durante a II GM:
          “Não tenho nada a oferecer senão sangue, trabalho árduo, suor e lágrimas”.  

         Sem chance, os milicos estão “no pau da goiaba”. Embora a idéia seja a de continuar esfolando, não se pode dizer abertamente. Tem-se é que fazê-los sonhar e nada melhor do que as palavras de Martin Luther King, em 28 de agosto de 1963:
          “I Have a Dream” (“Eu tenho um sonho”). Um dos trechos dizia: “Eu tenho um sonho de que meus quatro filhos um dia viverão em uma nação que não os julgará pela cor de sua pele, mas pelo seu caráter.” 

         Bem, político petista falar de caráter diante de uma plateia daquelas ia soar como piada. Possivelmente ele atacaria de Napoleão. Iria tomar por base a contenda ocorrida em 21 de julho de 1798, não distante das pirâmides de Gizé, quando, após duas horas de combate, Bonaparte derrotou “mole-mole” um exército de mamelucos (escravos que geralmente serviam a seus amos como criados domésticos e eventualmente eram usados como soldados pelos califas muçulmanos e pelo Império Otomano):
         “Soldados, pensem que do alto dessas pirâmides, quarenta séculos vos contemplam!” 

         Não iria dar certo, os milicos estudaram história militar e sabem que o João Santana da época explorou habilmente aquela fácil batalha, e a propaganda oficial magnificou a imagem de um general vencedor. 

         Mas Napoleão tem caldo! No dia dois de dezembro de 1805, ocorreu a Batalha de Austerlitz, também conhecida como a Batalha dos Três Imperadores (Napoleão contra o Czar Alexandre I da Rússia e o Imperador Francisco II, do Império Austriaco), uma das mais expressivas vitórias do exército francês. No dia seguinte, Napoleão reúne seus homens e faz uma saudação à tropa:
         Soldats,  
         “Je suis content de vous. Vous avez à la journée d’Austerlitz justifié tout ce que j’attendais de votre intrépidité. Vous avez décoré vos aigles d’une immortelle gloire.”
.         “Soldats, lorsque tout ce qui est nécessaire pour assurer le bonheur & la prospérité de notre patrie sera accomplie, je vous renverrai en France ; là, vous serez l’objet de ma plus tendre sollicitude. Mon peuple vous reverra avec des transports de joie, et il vous suffira de dire : j’étais à la bataille d’Austerlitz pour que l’on réponde : voilà un brave.” 

         Que arrependimento deve ter ficado o JW! Uma bela peça de oratória, mas impossível de ser usada no discurso do novo ministro. JW vivia matando as aulas do Cel Telmo e do Monsieur Fifi no CMRJ, portanto, seu francês é péssimo. 

         Descartei, por motivos óbvios, qualquer citação de estadistas do naipe do Presidente Ronald Wilson Reagan:
         “Estamos caminhando para o socialismo, um sistema que, como se diz, só funciona no Céu, onde não precisam dele, e no Inferno, onde ele já existe.” 
         “Eu achava que a política era a segunda profissão mais antiga. Hoje vejo que ela se parece muito com a primeira.” 
         “Acredito que o melhor programa social é um emprego.” 

         Ou da Baronesa Margaret Hilda Thatcher
         “Nunca esqueçamos esta verdade fundamental: o Estado não tem fonte de dinheiro senão o dinheiro que as pessoas ganham por si mesmas e para si mesmas. Se o Estado quer gastar mais dinheiro, somente poderá fazê-lo emprestando de sua poupança ou aumentando seus impostos. Não é correto pensar que alguém pagará. Esse “alguém” é “você”. Não há “dinheiro público”, há apenas “dinheiro dos contribuintes.” 
         “Tentar curar a doença britânica com socialismo era como tentar curar leucemia com sanguessugas.” 
         “O problema com o comunismo é que um dia o dinheiro dos outros acaba.” 

         Ou do Presidente John Fitzgerald Kennedy:
         “ Meus compatriotas, não perguntem o que seu país pode fazer por vocês - mas o que vocês podem fazer pelo seu país.” 
         “O maior inimigo da verdade é freqüentemente não a mentira - deliberada, planejada, desonesta - mas sim o mito – persistente, entranhado e irreal. 
         “Não conheço nenhuma fórmula infalível para obter o sucesso, mas conheço uma forma infalível de fracassar: tentar agradar a todos.” 

         Eu quase me esqueci, JW tinha tudo para basear seu discurso na famosa expressão utilizada pelo candidato Barack Hussein Obama:
“Sim, nós podemos" (Yes, we can). 

         E foi assim, dentro da ideia petista que tudo pode para se manter no poder, que saiu a pérola, que ousei comentar: 

Discurso do Ministro de Estado da Defesa, Jaques Wagner, por ocasião da cerimônia de posse no cargo.
Brasília, 2 de janeiro de 2015
Sobre Celso Amorim
O início do discurso de JW começa com afagos, ufanismo barato, mentiras ideológicas e mentiras mentirosas (mesmo). Já dá até um toque na instalação da famigerada Comissão da Verdade.
         ....“Como ministro das Relações Exteriores, conduziu ao lado, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, externamente a mesma revolução pacífica que se fez internamente. A prosperidade que se trouxe pra nossa gente ao longo dos oito anos do seu governo foi também o momento, eu diria, de maior desempenho, de maior presença independente e soberana da diplomacia brasileira nos quatro cantos do mundo e, portanto, eu não tenho dúvida que essa marca é uma marca que você carrega. Curiosamente disse que é bom ter um guerreiro no Itamaraty e um diplomata no Ministério da Defesa, e você cumpriu esse duplo papel: foi guerreiro lá e talvez tenha sido o período mais diplomático seu aqui, principalmente, como você disse, na missão de conduzir com cautela, com delicadeza, com inteligência, mas com determinação, a decisão maior na constituição da Comissão da Verdade. Então, eu não tenho dúvida que o Brasil lhe deve e todos temos a certeza que com o seu espírito, dificilmente você se conformará em ficar em casa, alguma coisa você vai querer fazer e a área publica provavelmente vai lhe chamar.”....  

O pedido/convite à anta (quero ser o MD)
JW passa a mensagem de que chegou de frente, pois tem a força (igual a THOR) e chegou para mandar, pois aprendeu no CMRJ que os milicos são bem mandados. Diz que as feridas serão cicatrizadas, possivelmente à custa de um “mea culpa”.
         ....Em primeiro lugar, quero agradecer à Sra. Presidenta da República, Dilma Rousseff, pelo honroso convite que me fez ao me comandar a pasta da Defesa. Curiosamente, apesar da surpresa de muitos, pela minha trajetória, pela segunda vez, essa é uma opção pessoal. A primeira vez que fiz a opção foi quando, ainda muito jovem, decidi ingressar no Colégio Militar do Rio de Janeiro, por absoluta admiração à tradição das Forças Armadas brasileiras, pela sua disciplina, pela sua hierarquia e por ser uma instituição formadora de quadro de Estado tanto quanto o nosso Itamaraty"
         ....E no meu primeiro diálogo com a presidenta da República, eu disse a ela que teria muito apreço em ser designado para a pasta da Defesa. Então, muita gente se surpreendeu, “mas com esse patrimônio politico”... Eu acho que patrimônio politico tem que ser prestado ao Brasil. Eu acho que patrimônio político emprestado ao comando Ministério da Defesa, com certeza, é para cada vez mais cicatrizarmos todas as feridas que ainda permanecem, e que tem que ser cicatrizadas, para que nós possamos, cada dia mais, fazer aquilo que é direito, que é de natureza, que é o absoluto encontro da Defesa com as nossas Forças Armadas..... 
         ....Então, eu quero deixar isso muito claro, principalmente aos comandantes militares, que essa aqui não foi uma convocação. Foi uma opção, um pedido pessoal que foi acolhido pela presidenta Dilma Rousseff e que muita gente continua não entendendo....  
         ....A liderança civil das Forças Armadas é um axioma no Brasil, ao qual corresponde o respeito ao profissionalismo da carreira militar. Aprendi desde cedo, no Colégio Militar do Rio de Janeiro, a admirar os valores desse ofício, que é um dos mais nobres do Estado brasileiro..... 

Marketing: Elogios ao 12 anos de desgoverno PT
Dentro do preconizado por Franklin Martins, grande discípulo de Paul Joseph Goebbels (minta, minta sempre, que um dia essa mentira se tornará realidade para quem ouve), os milicos foram obrigados a ouvir os “avanços KimJong-unEscos” do governo “apedeuantapetista”. Totalmente fora da ocasião.
         .....Nos últimos doze anos, um grande movimento progressista transformou a sociedade brasileira. Vivemos em um país que é o mais igualitário, livre e soberanode toda a sua história, apesar dos grandes desafios a enfrentar. Sob a liderança do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e, agora, da da Presidenta Dilma, em seu segundo mandato, o povo brasileiro saiu da pobreza, entrou na classe média, passou a frequentar escolas e universidades, atingiu níveis inéditos de emprego e pôde comprar sua casa própria.Tudo isso elevou a autoestima do nosso povo e tornou nosso país mais respeitado no exterior. O mundo passou a olhar para o Brasil como um país cujas experiências podem servir de inspiração. 

O Cicatrizador ataca novamente
JW, de leve, nas barbas da platéia de militares, dá um toque sutil na Contra-revolução de 1964, tira uma lasca do Muro de Berlim e cria um antagônico Muro de Manhattan (como eu desconhecia o tal muro, procurei no Dr Google e não achei nada que o relacionasse a um mercado absoluto. Concluí que deve ser um “wall absolute supermarket”). Novamente JW se coloca como o Dr James Kildare, o Jacu Cicatrizador.
         ....Justamente neste ano de 2015, comemoramos 30 anos de democracia sem ruptura. A guerra fria foi o guarda chuva para a última interrupção democrática no Brasil. Em 1989, tivemos a queda do muro de Berlim, que simbolizou o fim do Estado absoluto. Em 2008, tivemos a queda do muro de Manhattan, que também destruiu a teoria do mercado absoluto.... 
         ....Trabalharei com determinação para curar as ultimas feridas desses períodos....   

Mais ufanismo barato, fora do contexto da ocasião
Ainda bem que ele, no texto original, reconheceu ser um ministro com letra minúscula. Ouvindo as parlapatices de JW, lembrei-me que já tivemos os “anos dourados”, os “anos de chumbo”, e vivemos agora os “anos de corrupção”
         ....Sou ministro da Defesa de um projeto político vitorioso pela prosperidade que imprimiu à nossa gente, à autonomia do povo brasileiro e também no avanço por meio desta pasta da profissionalização e desenvolvimento das Forças Armadas. Por tudo isso, nosso projeto venceu em outubro de 2014.... 
         ....A democracia é o território do império da lei. E nela não há nada mais sagrado do que a delegação pelo voto do povo brasileiro, como o fez reelegendo a presidenta Dilma Rousseff. E as Forças Armadas são parte fundamental deste projeto vitorioso....  

Promessas para as Forças
         ....Nossa visão é a de Forças Armadas cada vez mais capacitadas, modernas e integradas....  
         ....Tenho plena consciência da prioridade conferida pela Estratégia Nacional de Defesa às áreas nuclear, cibernética e espacial. Esses projetos são essenciais para que nossas Forças Armadas estejam à altura dos desafios estratégicos do Brasil no século XXI, e serão levados adiante. Colocarei todo o meu peso político nesta tarefa.... 
         ....O Plano de Articulação e Equipamento de Defesa (PAED) será, por sua vez, um instrumento crucial para orientar e racionalizar a modernização das Forças.  
         ....O papel do Estado como fomentador da base industrial de defesa será preservado e incentivado... 
         ....Em um quadro de contenção orçamentária, o Governo não descuidará do andamento dos projetos prioritários da área. Todos sabemos que teremos um ano de aperto, mas quero dizer ao comandantes e aos civis do Ministério da Defesa que este ministro estará a frente na luta pela garantia da continuidade de todos os projetos que não foram decididos por mim, e sim por quem carrega a legitimidade, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidenta Dilma Rousseff. 
         ....A adequada capacidade de dissuasão exige também o aprimoramento da interoperabilidade das Forças Armadas, a cargo do Estado-Maior Conjunto....  
         ....Trabalharemos pelo permanente fortalecimento institucional do Ministério da Defesa, que é um ministério, mesmo que, do ponto de vista das prerrogativas, o segundo, muito recente. Como ministério da Defesa nós temos apenas 15 anos....

Estava indo tão bem, enrolando legal! Mas não pôde ser furtar à citação de uma diretriz do Foro de São Paulo 
         ....O Conselho de Defesa Sul-Americano da Unasul é um ponto focal da cooperação em nossa região. O Brasil apoia decididamente a recém-criada Escola Sul-Americana de Defesa, que, respeitando a pluralidade de visões de seus membros, estimulará a formação de uma identidade comum de defesa na América do Sul....  

Encerramento:
Fiquei aliviado, pois pensei que ele fosse fazer referência ao Marco Aurélio Garcia (top–top), mas tinha que entubar os milicos com a anta, mais uma vez. Dá-lhe João Santana!
         ....Ao encerrar minhas palavras, gostaria de recordar uma vez mais o Barão do Rio Branco..... “Não venho servir a um partido político: venho servir ao Brasil que todos desejamos ver unido, íntegro e respeitado”, sob a liderança da presidenta Dilma Rousseff, que ela, sim, é condutora de um projeto vitorioso politicamente para o país....  

Cuidado! Estou avisando, ele é o mais perigoso de todos. 

(*) Jacornélio foi ghost-writer de diversos Ministros de Estado. Foi aluno do Coronel Nei Paulo Panizzutti e do Cel Telmo Vaz, portanto, domina oratória e francês. Atualmente está muito preocupado com o fato Barão do Rio Branco estar rolando em sua tumba, ao ser citado em discursos de marqueteiros e em função da atual marco aureliana  política externa, professada pelo seu Itamaraty. 

(**) Errata: a música Falando Sério (escrito nº 118) é de autoria de Carlos Colla. 

Revisão: Paul Essence e Paul Word Spin (in memoriam). 

Brasília, 07 de janeiro de 2015. 

e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 

Limpe a politica deste País, denunciando a corrupção de um petralha. O Brasil agradece.

Comentários  
#4 Reinaldo Gonzaga 08-01-2015 20:33
https://www.facebook.com/GRUPOACAOREPUBLICANA
SEJA PATRIOTA: Passe adiante... Se cada pessoa passar para 10 amigos de setores diferentes no 6 repasse atingimos 5 milhões de usuários . Vamos tirar 5 minutos para mudar o Brasil , faça sua parte!
#3 Osmar J. B. Ribeiro 07-01-2015 22:31
Esse novo MD terá de ser contido em seus arroubos oratórios e, não menos importante, detê-lo na busca declarada de criar uma cisão nas Forças Armadas. Um admirador de Marighella não merece ter suas "orientações" seguidas pois, se tal acontecer, breve teremos cubanos dando ordens.
#2 William Martin 07-01-2015 22:08
Essa é a segunda morte da brava Força Aérea Brasileira. A primeira foi no governo Lulla. Agora, ferida de morte pela segunda vez, em ato de TRAIÇÃO de seus pseudo-chefes militares, que não tiveram a hombridade de sair em defesa de seu ínclito patrono, o Brig. Eduardo Gomes, atacado em sua honra pela nefasta Comissão da Meia-Verdade. Canalhas! Traidores! Vendilhões da Pátria! Peçam para sair!
#1 carlos de Carvalho 07-01-2015 16:43
... hummmmmm... então o JACU está prestigiado pelos BLUEBERRYs ? O BRIGADEIRO EDUARDO GOMES, de saudosa memória, deve estar morrendo pela segunda vez... Aliás, JACU, como ave, voa, então, com todo seu nível médio, parece ter alguns pares... Já não se faz oficiais íntegros... Faltou dizer qual o mais " assanhadinho " para o ... Comando...
Adicionar comentário