Por Marco Antonio Esteves Balbi - Coronel Reformado do EB
 Estava eu posto em sossego no dia de hoje. Meu filho mais velho completou 43 anos. Percebi que um querido amigo postou um link com o texto cujo título é o mesmo desse texto. Fora publicado no site Alerta Total do Jorge Serrão.
            Para quem não conhece ou sabe, cabe aqui um esclarecimento. Jorge Serrão acha que todas as mazelas do Brasil são originárias alhures. Em especial é tudo culpa dos Rockfeller, de um tal de Consenso de Washington, dus americanus e ingreses dos oio azul. Ou seja, Jorge Serrão e Lula, quando lhes interessa, arrumam os mesmos inimigos. Até aí tudo bem. Cada um arruma o inimigo que lhe interessa. Mas, por vezes, Jorge Serrão extrapola, no meu modo de entender e, por algumas vezes, postei comentários na área apropriada, estranhando as colocações apresentadas, quase todas elas dizendo respeito às Forças Armadas, mormente ao Exército de Caxias.
            Jorge Serrão até já publicou textos da minha autoria. Até aí morreu Neves, já dizia aquele velho ditado francês. Mas, hoje foi demais! Milico, não é isso aí, Serrão! Não, mesmo, Waldo!


            Por oportuno, julgo importante esclarecer que não tenho nenhuma das qualificações do articulista Waldo! Ele diz ser escritor, economista e poeta. Eu sou só um coronel reformado do EB, menininho pequeninho lá dos Campos dos Goytacazes, criado pela Dona Laurita e Seu Crementino, que me puseram para estudar no Liceu de Humanidades de Campos. Mesmo que por vezes alguns safanões tivessem sido necessários e oportunos. Prestei concurso de admissão para a Academia Militar das Agulhas Negras e, após passar pela seleção intelectual, física, médica e psicológica ingressei na carreira mais democrática que eu conheço no Brasil.

            Por meus méritos próprios e acompanhado e orientado pelos meus chefes e apoiado pela minha família atingi o posto mais alto da carreira: coronel do Exército. Minha mulher, bem mais corajosa que o Waldo, me acompanhou por todo o tempo, fazendo 17 mudanças em 34 anos de carreira, criando dois filhos e cuidando de todos os afazeres domésticos, muita das vezes sozinha.

            O Waldo, ensimesmado, não percebe que o Exército Brasileiro é uma síntese do Brasil. Seus homens, e agora também suas mulheres, vivem no mesmo diapasão que todos os brasileiros. Conhecem todos os rincões do Brasil, palmilham o seu território de norte a sul, de leste a oeste, vivenciam todas as dificuldades e participam das raras alegrias do povo brasileiro. O que para alguns exércitos de oio azul do Serrão é uma deficiência, para nós é uma virtude. Estamos em todos os cantos, irmanamo-nos com todos, independente de cor, classe ou crença.

            Comandantes da ativa ou ex-chefes na reserva não têm partido, não são governistas ou anti-governistas. O Exército é uma instituição do Estado brasileiro e seus profissionais servem a este Estado, que mercê dos impostos dos cidadãos lhes pagam os seus proventos.
            A coisa mais fácil do mundo é ser crítico da história. Dedicando-me a ler e estudar poderia escrever um tratado sobre como fulano ou sicrano deveria ter agido em tal ou qual circunstância! Ah Castelo Branco jamais deveria ter se rendido, suspendido a eleição e prorrogado o seu mandato! Ah, jamais deveriam ter cassado o político a, b ou c! Pôxa, como foram permitir que fulano conduzisse a política econômica ou a política externa! Assim é fácil Waldo, até eu! Mas, eles é que estiveram lá e conduziram as coisas de acordo com as circunstâncias! Tomaram as decisões naqueles momentos cruciais como melhor lhes aprouveram!

            Como ex-instrutor de duas das mais importantes escolas do nosso EB posso lhe garantir uma coisa Waldo: você não sabe nada do que nelas se ensina! Nem faz idéia de como se faz! Elas servem de parâmetro, em termos de atualização das grades curriculares e das metodologias do ensino para muitas das instituições civis, Waldo! Por certo, nelas ninguém desconhece Augusto Comte e o positivismo, mas vão um pouquinho além! Conhecem Gramsci e sabem que seu artigo encaixa-se como uma luva na estratégia ditada desde os cárceres pelo italiano tão copiado no Brasil do PT de hoje!

            E os atuais alunos das escolas militares, assim como os meus alunos de ontem, hoje oficiais generais, reagirão na hora oportuna e adequada para colocar ordem no caos. Leia o nosso guru, General Sérgio Coutinho. Ele já nos dizia, pouco antes de partir, que o líder militar surgiria no momento adequado e oportuno. Mas, ele nos dizia também, que caberia aos civis liderarem o processo. Aonde estão os Lacerda, os Magalhães Pinto e os Ademar de Barros, entre outros? Se depender de você e do Serrão estão bem escondidos, deitando falação nas redes sociais e esperando pela solução que caia do céu. Ou do inferno, se a turma do Foro de São Paulo prevalecer e uma guerra fratricida se tornar inevitável. Nesta hora o senhor deverá estar escondido debaixo da cama, enquanto eu e outros de pijama, sem as fraldas geriátricas e sem cocô nas calças, tiraremos a graxa anti-óxido dos nossos trabucos  enferrujados e nos ombrearemos com os nossos ex-cadetes e alunos para expulsar os apátridas, sejam eles Jaques, Eva, Amorim, Luis ou Dilma.

            A história nos ensina que eles não desistem. Tentaram em 1935, em 1964, em 1968/1974, tentarão de novo! Mas, por aqui não passarão!
            Seu artigo não me atingiu. Nem a mim nem a meus companheiros. Mas, tenho certeza, atingiu a vários companheiros que até hoje nos honram, chamando-nos comandante. Muitos ainda na ativa, outros já na reserva, assim nos consideram porque em algum momento da carreira e da vida profissional deles fomos capazes de liderar e dizer a eles: este é o caminho do dever! E, eles acreditaram em nós e nos seguiriam e nos seguirão aonde for que o conduzamos! Jamais o poeta, escritor e economista Waldo vai entender isto! Serrão muito menos!

             Lula, Dilma, Amorim e Jaques passarão. Serão considerados como uma excrescência na história do Brasil. O Exército Brasileiro, este permanecerá o mesmo, honrando as tradições, os valores e as virtudes forjadas na têmpera do aço desde Guararapes, passando por Caxias, Sampaio, Osório e Mallet, os febianos de Mascarenhas de Moraes, os boina azuis espalhados pelo mundo, respeitado como a instituição de maior credibilidade perante o povo brasileiro. É contra isso que você Waldo e você Serrão pretendem se contrapor? Vão se catar, antes que eu me esqueça!

Comentários  
#14 EDGARD LUIZ C.FRANÇA 13-02-2015 10:01
AO ENCAMINHAR O TEXTO ORIGINAL DO VALDO... INFORMEI A TODOS OS QUE RECEBEM MEUS E-MAILS QUE CONCORDAVA COM "QUASE" TUDO QUE ESTAVA ESCRITO. ESSE QUASE DIZ RESPEITO ÀS MINHAS
TOTAIS DÚVIDAS SOBRE A ''CAPACIDADE DE REAÇÃO''
DOS ATUAIS CHEFES DO EB. NOS TEMPOS IMORTAIS DE
64 A 85 SABÍAMOS COM QUEM SERVÍAMOS, POSSO
GARANTIR QUE TRABALHEI COM VÁRIOS CHEFES DA-
QUELA ÉPOCA. HOJE NADA CONHECEMOS DOS CHEFES
ATUAIS. DEVE SER A IDADE QUE JÁ NOS FAZ INCRÉ
DULOS.ESPERO QUE A REALIDADE PROVE O CONTRÁRIO.
#13 Roberto Albernaz 13-02-2015 05:34
Parabenizo Cel. Marco Antônio pelo artigo e deixo aqui um apoio de que muitos dos filhos de militares que lutaram e vivenciaram esses momentos difíceis da vida nacional defendendo o Brasil da intolerância e ideologias que não se identificam com a sociedade brasileira,que estaremos sempre alertas ao chamamento da Pátria se assim a necessitar.A justiça brasileira está calada,as instituições contaminadas,no ssa única e última barreira são as nossas gloriosas FFAA.
#12 Valdir 13-02-2015 00:36
Prezado coronel Marco Antonio, a exemplo de meu xará que postou comentário, eu também li a matéria e concordo com ele. Apesar de uma ou outra ressalva, o âmago da questão é verdadeira. Lá tem um comentário de uma pessoa que se diz "Oficial da Ativa" e que todos nos quartéis também estão insatisfeitos. E aí fico sem entender o porque das FFAA ainda não terem cumprido seu dever constitucional de mater a ordem como estabelecido no artigo 142 da CF. Só existem 2 maneiras do Brasil voltar a ter paz e justiça:
1 - Uma revolução civil. Essa opção está descartada visto que a população foi desarmada;
2 - Uma quebra de hierarquia nas FFAA. Isso inclusive foi dos motivos que levou à contra revolução de 64.
Se os oficiais da ativa também estão insatisfeitos, então creio ser o melhor caminho.
#11 jose carlos 12-02-2015 16:50
Um PQDT sozinho é um cavalheiro, dois PQDT juntos marcham em passo certos e três PQDT fazem uma GUERRA. Um detalhe importante, é que todo PQDT é antes de tudo um BRASILEIRO e cada civil PATRIOTA tem um coração igual ao de um vibrante PQDT (BRASIL ACIMA DE TUDO!!!!!!!!)
#10 Vaulber B. Pellegrin 12-02-2015 16:30
Como Montagna, posso voltar a sonhar Sr Coronel?
#9 Soares 12-02-2015 14:56
Sinto Muito coronel, mas enquanto o Exército não cassar as medalhas de José Genuíno e de outros ladrões do dinheiro público, por medo da Dilma, fica muito difícil defender essa instituição, outrora tão grandiosa. Se esses chefes não têm coragem sequer para cumprir a lei, vão ter coragem para o que?
#8 Carlos de Carvalho 12-02-2015 14:30
O ALERTA TOTAL é um espaço democrático onde se pode expressar o que se sente o que é salutar numa verdadeira democracia... por enquanto, estamos podendo e já com os dias contados...
#7 Flavio Rodrigues 12-02-2015 13:16
Infelizmente, caro Cel Balbi, a realidade desses nossos dias dá mais guarida à visão do Alerta Total que à sua, haja vista a forma alienada como agem (ou melhor, não agem) as FFAA. Não por menos, após o atual comandante, quem sabe não se deixarão conduzir pelo guardinha da esquina.
#6 Luis Augusto 12-02-2015 08:31
Agradeço a Deus pôr chegar onde cheguei.
Tenho 54 anos, e Deus me colocou diante dos melhores instrutores até então, Coronel Ustra e Tenente Mourão, e é o meu norte que me acompanha, é sempre falar a VERDADE, e isto têm sido uma tragédia.
Mas como estamos em uma absoluta normalidade, deve ser esquizofrenia da minha parte.
O que me intriga, é a indignação pôr algo escrito aqui e ali,pergunto qual a finalidade do Alerta a Nação?????? Será que foi tambem uma falação das redes sociais??????
Agora que teremos guerra civil, isso eu não duvido, mas talvez não estarei mais aqui, mas meus filhos e netos , SIM. E aí, onde estará a verdade?
#5 paulo ricardo da roc 11-02-2015 23:05
Faço minhas as palavras do Montagna
Paiva
Adicionar comentário