General da Reserva Luiz Eduardo Rocha Paiva.
O regime militar era de exceção como os próprios Presidentes reconheciam ao manifestarem a necessidade de redemocratização.  Autoritário sim, por limitar as liberdades democráticas, mas não totalitário, que as eliminaria.
Havia partido de oposição - o MDB - que tinha espaços na mídia e disputava eleições livres. A bandeira do MDB era democracia já, enquanto a do partido de governo, a ARENA, era a redemocratização gradual e segura. Periódicos, músicas de protesto, festivais da canção, grupos e peças teatrais criticavam o governo e livrarias vendiam obras de linha marxista-leninista. Ou seja, havia liberdades impensáveis em regimes totalitários ou ditaduras.

A redemocratização veio a partir de 1978, não por obra da esquerda revolucionária já desmantelada. É um engano considerá-la vitoriosa porque antigos militantes ocupam, hoje, posições importantes na sociedade. Eles não chegaram ao poder pela força das armas e sim como cidadãos com plenos direitos assegurados na anistia concedida pelo próprio governo em 1979. Abandonaram a luta armada, derrotados, e se submeteram às normas democráticas, reintegrando-se à sociedade na forma da lei, em pleno regime militar e como exigiam a Nação e o governo.

Nos anos 1960 e 1970, a ideologia da luta armada no Brasil era a de Estados totalitários como URSS, China e Cuba responsáveis pelas maiores violações aos direitos humanos. Se a esquerda radical tupiniquim conquistasse o poder, cometeria as mesmas atrocidades ocorridas em suas matrizes. Daí a incoerência da Presidente Dilma quando homenageia, em discursos, antigos companheiros de luta armada, dizendo que eles lutavam por liberdade e democracia. O conceito da Presidente a respeito de liberdade e democracia parece continuar o mesmo de quando pertenceu a organizações  armadas revolucionárias ao lado de Lamarca, Franklin Martins, José Dirceu e outros notórios  "aficionados pela democracia". Eis aí algo que deveria preocupar à sociedade como um todo, particularmente, à mídia, às Igrejas, aos Poderes da União e às Instituições do País.

É hipocrisia a condenação dos governos militares, por excessos na reação à luta armada, feita por militantes radicais e sucessivos governos que idolatram ditaduras e lideranças criminosas como a de Cuba; que concedem asilo a terroristas estrangeiros condenados, mas devolvem fugitivos da ditadura cubana; e que financiam e confraternizam com o movimentos ditos sociais, cujas ações resultam, impunemente, em invasões, destruições e mortes.

O Brasil tornou-se uma democracia, aspiração da sociedade, da oposição legal e dos governos militares, e não um país comunista escravizado por um partido único, objetivo da esquerda revolucionária, que não teve o reconhecimento de nenhuma democracia de que lutasse por liberdade ou representasse parcela do povo brasileiro.
Porém, como eles não desistiram e só mudaram os métodos, é preciso manter a vigilância e a disposição para combate-los e vence-los com os meios legais que se fizerem necessários.

Comentários   
#6 Roberto Albernaz 18-02-2015 05:46
Antecedendo as comemorações de 31 de Março de 1964 deixo aqui meus parabéns pela data e pela vitória de todos os brasileiros que salvaram o Brasil.VIVA 31 de MARÇO de 1964! Parabéns militares que limparam o Brasil de uma tragédia mundial.A todos vocês o Brasil foi rconhecido mundialmente pelo avanço econômico,indus trial e divisas com países emergentes levando a nossa sociedade a ter melhoria na saúde,educação (incluindo mobral),transpo rtes com estradas de qualidades e principalmente as hidroelétricas potencialmente ativas.E graças a elas,que hoje não vivemos um caos pior.
#5 Aragão 16-02-2015 21:37
Esses canalhas nunca desistiram e jamais vão desistir, mas o meu grande receio e indignação é essa espera que o pior, mais do que já vem acontecendo piore ainda mais para que se tome alguma posição contra essa canalhice institucionaliz ada no Brasil. Vamos esperar o quê, que o governo do PT instale a sonhada ditadura comunista bolivariana cassando todos os partidos, toda mídia e todos os sindicatos? Então vamos esperar a falência total do BB, da CEF, ou BNDS? Não, ainda é pouco, ainda faltam os Correios, então vamos aguardar. Temos ainda o Banco Central, a Casa da Moeda que precisam entrar na crise também? O que mais estão esperando? Já sei, vamos esperar que o governo atrase o salário dos servidores públicos e comece a perseguir os que não aderiram ao comunismo. Vamos esperar que a inflação chegue a 50% ao mês? Vamos esperar que o PT roube mais ainda e destrua as Forças Armadas, a Polícia Federal e todo país? Não se faz mais General como Olympio Mourão Filho, é uma pena Brasil.
#4 Pedro C A Tabajara 16-02-2015 12:34
Muito bom, General.
É disto que precisamos divulgar.
Como complemento, seria muito interessante mostrar o que era o Brasil antes de 64 (estradas, correios, telefonia, energia elétrica etc.) e as realizações dos governos militares.
Saudações Cap Tabajara
#3 Carlos de Carvalho 16-02-2015 09:29
O JACU só foi nomeado para AVACALHAR AS FORÇAS ARMADAS... Como pode um indivíduo com ensino médio, peão da PTBROUBRAS, ser ministro da defesa, lidando com oficiais altamente experientes, técnicos com anos de experiência ? O JACU é um PEÃO, técnico de... MA NU TEN ÇÃO, é, como o seu chefe LULLA, NUNCA EXERCEU A FUNÇÃO POR SER CONSIDERADO MEDÍOCRE...
#2 Carlos de Carvalho 15-02-2015 23:09
Revejam " OS 10 MANDAMENTOS DA IDEOLOGIA SOCIALISTA " escrito por VLADIMIR LÊNIN... qualquer semelhança com o BRASIL ATUAL, NÃO É MERA COINCIDÊNCIA.
#1 A. Augusto Aurelio 15-02-2015 20:16
Parabens Sr. General, não podemos permanecer
apáticos, nem mesmo nos mostrar temerosos,va-
mos , sim ficarmos atentos como (A guarda que
morre mas não se rende. Selva..Selva.
Atenciosamente.
Aurélio.
Adicionar comentário