Paulo André Chenso
Folha de Londrina, 15-08-2015
http://www.folhaweb.com.br/?id_folha=2-1--1525-20150815&tit=escolas+militares+o+gemido+dos+mediocres
O Colégio Militar foi criado por D. Pedro 2º em 1889, e mantido pela República. Durante 126 anos nunca se viu qualquer comentário sobre essas escolas. De repente, descobriram o filão – e como o descobriram? Simples, as escolas militares encabeçam a lista dos melhores desempenhos nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), e isso, parece, incomodou alguns setores da nossa "educação civil". É como se o sucesso dos colégios militares causasse inveja aos colégios civis. São 12 colégios do Exército e 93 da Polícia Militar, com um total de mais de 30 mil alunos atendidos. Bastou aparecer na mídia o brilhante desempenho e já emergiram de suas tocas os pseudopedagogos de beira de estrada para criticar o sistema de ensino dos colégios militares.

Na reportagem da Folha de São Paulo (12/8) afirma-se: o Colégio Militar "padroniza comportamentos", "inibe o questionamento" e "impede criar perspectiva de construção de identidade". Se durante mais de 100 anos foi assim, os colégios militares formaram uma multidão de alienados – que, no entanto, estão dando um show de desempenho. É, realmente, paradoxal.

Sou professor há 42 anos e acompanhei gerações de alunos do nível médio, e assisti, com imensa tristeza, a deterioração do comportamento, o desinteresse, o aumento da violência, a impossibilidade de se aplicar disciplina mais rigorosa, e necessária, pois, hoje, o aluno já sabe, previamente, que não importa o que aconteça, ele será aprovado. Vi professores sendo agredidos, desrespeitados, às vezes humilhados, e por que não, abandonados pelos próprios órgãos que lhes deveriam dar apoio, como é o caso dos núcleos de ensino, com pareceres quase sempre favoráveis ao aluno. Ora, vendo tudo isso ao longo dos anos, a contínua corrupção (e corrosão) do ensino, com facilitações que chegam às raias do absurdo para justificar, alhures, que aqui não há repetências, e encerramos cada ano com alunos cada vez menos preparados. Como concordar? Alunos do nível médio que escrevem Brasil com z! Que nunca leem nada além de ridículos livrecos empurrados pelas grandes editoras - há um enorme contingente de alunos que chegam ao terceiro colegial sem ter lido um único autor clássico brasileiro. É uma vergonha!

E agora vem a mídia e seus "especialistas" em educação tecer críticas ao único sistema, hoje, que atua na educação do jovem de forma global e completa. Ora, é preciso ver o programa pedagógico desses colégios antes de sair por aí falando asneiras como se fossem os arautos da melhor educação. Se fossem, o ensino não estaria essa tragédia. Sem contar o desinteresse absoluto do Estado, o mísero investimento feito pelo poder público. O verdadeiro abandono das nossas escolas. Dispensa comentários.

Não vi entrevistas com os alunos, nem com os pais. Vi declarações, sim, de pessoas que parecem ignorar a real situação de nossas escolas. Ninguém mencionou na imprensa se os milhares de alunos desses colégios militares gostam ou não. É explícito nos regulamentos: caso o aluno não se adapte à disciplina militar, é imediatamente transferido para colégios civis. Ninguém é obrigado a estudar lá. E mais, para estudar nesses colégios, participa-se de um concurso na qual a média de candidatos chega a 22 mil! Será que é mesmo tão ruim, ou são nossos "pedagogos" que estão impregnados com as ideias "supermodernas" introduzidas na educação brasileira nos últimos anos?

PAULO ANDRÉ CHENSO é médico e professor em Londrina

 

Comentários  
#8 Robson Merola 23-08-2015 11:06
Excelente artigo do Dr. Paulo Posicionamento lúcido, franco e objetivo. É preciso dar um basta naqueles que colocam um viés ideológico em tudo que fazem, não conseguindo admitir que há inteligência e sucesso fora da sua tacanha visão. Parabéns ao Dr. Paulo e agradecido por trazer a lume seu feliz pronunciamento.
#7 Jairo Santos 18-08-2015 17:59
Concordo plenamente com o texto. Inclusive, meu filho é aluno do CMPA e não consigo pensar em uma escola melhor para sua formação. Quanto a esses recalcados e, como o senhor se referiu, "pseudopedagogo s de beira de estrada", os quais devem ter muito tempo livre para ocupá-lo denegrindo essas sólidas instituições, principalmente o tendencioso e esquecível Caco Barcellos, aí vai o meu recado: Por que em vez de malharem essas instituições vocês não tentaram nelas estudar ou nelas matricular seus filhos? Ah, eu me esqueci. Esses são colégios nos quais MUITOS QUEREM, MAS POUCOS PODEM ingressar, porque não depende de apadrinhamento, apaniguamento ou ideologia, mas de estudo e esforço pessoal, razão pela qual vocês, por mais que queiram, NUNCA SERÃO!!! :lol:
#6 Eduardo Sacramento 18-08-2015 09:46
Sou oficial do Exército, hoje na Reserva. Fui aluno do CMPA (Porto Alegre). Um dos mais tradicionais CM do país. Neste estado são inúmeros os ex-alunos que hoje se destacam na sociedade em todas as áreas de atuação. O revanchismo e o patrulhamento ideológico fazem parte deste processo que mencionas. O reporter global, Caco Barcelos, ex-taxista em Porto Alegre e hoje destacado na Globo fez outra reportagem no Profissão Reporter especulando sobre os Colégios em Goiás. Sofreu pesadas críticas também. Parabéns pelo seu posicionamento e minha solidariedade. Att. Eduardo Sacramento
#5 Gilvan Martins 18-08-2015 06:48
Escola de formação de caráter e de bons cidadãos.
#4 Franco 383 CMS 18-08-2015 06:44
Sou ex-aluno dos colégios militares de Manaus e de Salvador de 1977 a 1983. Filho de militar. Hoje médico veterinário. Funcionário do banco do nordeste. Aprovado em mais 03 faculdades que não optei na época para cursar. Sua reportagem está circulando em grupos de ex-alunos dos colégios militares do nordeste e nos sentimos honrados com as defesas realizadas por Vc para essas instituições. Bom saber que temos defensores em vários cantos deste BraSil. Tudo que hoje sou devo a meus pais e minha educação inicial nos colégios Militares Parabéns. Pessoas dignas sempre reconhecem - se umas às outras. BRASIL.
#3 Franco 383 CMS 18-08-2015 06:39
Sou ex-aluno do colégio militar de Salvador de 1977 a 1983. Filho de militar. Hoje médico veterinário. Funcionário do banco do nordeste. Aprovado em mais 03 faculdades que não optei na época para cursar. Sua reportagem está circulando em grupos de ex-alunos dos colégios militares do nordeste e nos sentimos honrados com as defesas realizadas por Vc para essas instituições. Bom saber que temos defensores em vários cantos deste BraSil. Parabéns. Pessoas dignas sempre reconhecem - se umas às outras. BRASIL.
#2 Paulo 17-08-2015 18:22
:lol: :lol: :lol: Perfeito, que texto lindo esse :D

Mas educação MILITAR nesse país
#1 Elizangela 17-08-2015 14:23
Gostaria de agradecer este comentário, pois minhas filhas estudaram no colégio militar de BH e uma estuda na UFMG e a outra está se preparando para concursos. O colégio aprimorou o gosto pela leitura e pelos estudo, dentre outras coisas. Acredito que hoje atacam essas instituições, por causa do que o país sofreu com a ditadura, só que assim como todo regime de governo, também teve coisas boas e daqui alguns anos estaremos comentando o que o PT fez e esta fazendo com o nosso país.
Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar