A GUARDA MORRE MAS NÃO SE RENDE
Armando Luiz Malan de Paiva Chaves
Recebi a triste notícia do falecimento do Coronel CARLOS ALBERTO BRILHANTE USTRA.
Os amigos, camaradas de armas, admiradores, antigos subordinados choram sua morte, acompanhando a família.
Não foi apenas um militar íntegro, de excelsos atributos. Sua trajetória foi além, muito além, só hoje interrompida porque o Altíssimo o chamou.

Combateu o bom combate. Incansável, destemido, enfrentou o calvário das acusações de torturas e mortes de que o acusavam, quando no exercício do comando do DOI/CODI de São Paulo. Foi mergulhado em incontáveis processos e, acolhida sua defesa, emergiu incólume.

Nunca se rendeu. Do Além, não se renderá, pois sua Joseíta, competente e dedicadíssima colaboradora, profunda conhecedora da trama que os envolve há décadas, terá sempre respoostas e argumentos para rebater prontamente os ataques que não respeitarem seu passamento. A Guarda Morre Mas Não Se Rende.

Apesar de alguns advogados amigos, muito custou ao casal, sem outros rendimentos que os de aposentadoria e com a colaboraçao das duas filhas, custear a defesa contra acusações que, em contínua sequência, pipocavam na Justiça. Ao desgaste emocional juntava-se o risco de insolvência financeira.

Escreveu e publicou dois livros. O primeiro, Rompendo o Silêncio, provava a inconsistência da acusação de ofensas e torturas que lhe fizera publicamente uma artista. O silêncio rompido calou definitivamente a acusadora. O segundo, A Verdade Sufocada, é uma enciclopédia de história que trata da evolução e incursões do comunismo internacional em vários países, com enfoque principal no Brasil. Obra de fôlego, já teve segunda edição, muito ampliada.

Deixa-nos o amigo, com sua imagem heróica, que se contrapôs com estoicismo a quem centrava nele o alvo principal dos ataques aos que combateram a guerrilha urbana e rural. Deixa-nos com o amor ao Exército que não se maculou quando, no passado, não foi compreendido e apoiado. Deixa-nos como exemplo para as novas gerações.

Armando Luiz Malan de Paiva Chaves

 

 

 

 

 

Comentários  
#5 marco quintella 01-11-2015 17:53
Meus sentimentos a família. Descanse em paz!
#4 Nestor Jesus de Sant 20-10-2015 13:11
Assino Também, comovido .
Nestor
Santos/SP
Artilharia
#3 Alan Novaes 17-10-2015 20:08
Meus sentimentos a família. Descanse em paz!
Sim, Nossa luta continua.
#2 Edson Araújo 16-10-2015 22:09
Um grande patriota que serve de referência moral para todos brasileiros.

O Exército de Caxias deveria lhe proporcionar as devidas honras militares, já que o Cel Ustra foi um dos militares que contribuíram para que este país se mantivesse livre do comunismo. Viva o Cel Ustra ! Viva o Regime Militar de 64 !
#1 carlos I.S.Azambuja 16-10-2015 22:04
Assino em baixo!
Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar