Imprimir
Categoria: Diversos
Acessos: 2559

 Quem planta vento...

Quase todos presidentes sul-americanos vão participar da reunião, que vai discutir situação boliviana -  FE - Estado de São paulo
LA PAZ -
 O Governo da Bolívia confirmou hoje que o presidente Evo Morales vai participar da cúpula de emergência que a União de Nações Sul-Americanas (Unasul) vai realizar amanhã em Santiago do Chile, para analisar a crise de seu país.

Texto completo

O vice-presidente do Governo, Álvaro García Linera, anunciou aos jornalistas a presença de Morales na cúpula de Unasul, momentos antes de começar no Palácio do Governo de La Paz a reunião entre o Governo e o representante do bloco opositor autonomista, o governador regional de Tarija, Mario Cossío.

Quase todos os presidentes sul-americanos vão participar da reunião da Unasul sobre a Bolívia, convocada pela presidente "pro tempore" do organismo, Michelle Bachelet.

O que convenceu a chefe de Governo do Chile de convocar a cúpula foi uma advertência do presidente Evo Morales sobre a existência de um relatório de inteligência, que advertia sobre uma iminente tentativa para derrubá-lo, informou hoje o jornal "El Mercurio".

Até agora foram confirmadas as presenças de nove presidentes à reunião de Santiago: Luís Inácio Lula da Silva (Brasil), Cristina Fernández (Argentina), Evo Morales (Bolívia), Álvaro Uribe (Colômbia), Rafael Correa (Equador), Fernando Lugo (Paraguai), Tabaré Vázquez (Uruguai) e Hugo Chávez (Venezuela), além da anfitriã, Michelle Bachelet.

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, também vai comparecer ao encontro.

 

 

Chávez acusa general boliviano de desobedecer Evo

AE-AP - Agencia Estado

 

CARACAS - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, acusou hoje o comandante-em-chefe das Forças Armadas da Bolívia, general Luis Trigo, de atuar contra as ordens do presidente Evo Morales.

Em seu programa "Aló Presidente", Chávez afirmou que Trigo foi até o departamento (Estado) de Pando ontem à noite. O militar, porém, não teria cumprido a ordem do presidente, "mas ele chegou e ordenou às tropas que se aquartelassem, e abandonaram a proteção do aeroporto e a proteção dos cidadãos".

Chávez manifestou várias vezes sua disposição de defender Evo militarmente, ante um possível movimento golpista. Trigo afirmou na sexta-feira que os militares bolivianos não permitirão "que nenhum militar de força estrangeira pise território nacional". As informações são da Associated Press.