Fico feliz com a execução da Justiça Divina, visto que da justiça dos homens não espero nada, nem injustiças... quando falo de Justiça por parte de Deus, é que a lógica aponta para um erro crasso em se reabrir feridas que foram cirurgicamente fechadas com a lei da anistia... há que se entender, todo o povo brasileiro, que o Estado combateu no período de 1968 a 1974, brasileiros que queriam nos impingir uma forma de governo nos moldes do que era praticado nas ditaduras sanguinárias que tinham o emblema da foice e do martelo...
 
 
Situação semelhante ocorre hoje, de maneira idêntica ao outrora praticado, com a agravante que um bolsão de apoio já se estabeleceu nos países vizinhos ao Brasil que já acolheram quase todos, governantes conduzidos pela mesma força fratricida que desde 1927 ronda nossa pátria do Cruzeiro... só que desta vez o inimigo foi entronizado na forma mais indefensável que poderia ser: através do processo democrático...

Voltando ao assunto inicial, meus parabéns ao Coronel Ustra por ter sido isentado desse opróbrio e que Deus lhe conceda a serenidade para suplantar os demais e que sua vida possa doravante ter paz ... é um homem justo, excelente profissional e um amigo cordato e camarada, sendo merecedor de uma vida tranquila...
Adicionar comentário