Há interesse da classe política de desconstruir a Lava Jato, diz procurador
Santos Lima reforça que "corrupção está em todo sistema político brasileiro"
Jornal do Brasil
O procurador Regional da República Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos principais negociadores das delações premiadas e leniências da Lava Jato, frisou em entrevista aoEstadão que a "corrupção está em todo sistema político brasileiro, seja partido A, partido B, seja partido C", Ele critica o que chama de "manipulação ideológica" das investigações, que seria a tentativa de apontar uma perseguição política contra um grupo ou outro.
Questionado se o governo atual manobra para frear a Lava Jato, Santos Lima diz que "nesse governo, ainda não percebemos isso claramente". Recentemente, Moreira Franco foi nomeado para a Secretaria-Geral e ganhou foro privilegiado. Apelidado de Angorá na planilha da Odebrecht, ele foi citado mais de 30 vezes na delação de Cláudio Melo Filho, ex-diretor de relações institucionais da empreiteira. Outros ministros também estariam na mira dos investigadores da Lava Jato, como Eliseu Padilha e José Serra.
 
"Mas não temos dúvida que há um interesse da classe política de lentamente desconstruir a operação, isso sabemos", pondera o procurador.
 "O que acho que vai acontecer, e espero que não, é que vai haver uma sensação de frustração"
Sobre a nomeação do ministro Alexandre de Moraes, o procurador da Lava Jato fala sobre ele como um "jurista capaz", e destaca que ele fez uma visita à força-tarefa logo no início de sua gestão no Ministério da Justiça. "E durante o período no Ministério da Justiça não vi nenhum efetivo problema de intervenção na Lava Jato. Então tenho por ele o maior respeito", comentou Santos Lima.
O procurador acredita, contudo, que há risco prescrição e impunidade ao final das investigações. "O doutor Edison Fachin (que assumiu a relatoria da Lava Jato, no STF) é uma pessoa extremamente bem conceituada. Então não temos problema", disse. "O que acho que vai acontecer, e espero que não aconteça, é que vai haver uma sensação de frustração."
- Confira a entrevista na íntegra
 
Comentários  
#1 Indignado 23-02-2017 12:21
Se os sistemas político e judicial estão totalmente carcomidos pela corrupção e aparelhamento da ORCRIM, só resta às FFAA tomar providências no sentido de demolir as ruínas e reerguer novamente os pilares democráticos, com novas formas de governo e/ou escolha eleitoral.
Do jeito que está não dá para continuar, porque passa a impressão, quiçá a certeza, de que NENHUM parlamentar e ministro das altas cortes presta.
Adicionar comentário