Revista  Veja - Radar
No início do mês Jorge Picciani foi reeleito presidente da ALERJ, mas todo mundo sabe que não ficará no cargo nem até o fim deste ano. A delação da Carioca Engenharia entrega Picciani de bandeja, Braguinha também está negociando sua delação onde o presidente da ALERJ é personagem de destaque, e outras delações estão em curso. Muito em breve, quando as delações vierem à tona, Picciani não terá mais condições políticas de permanecer como presidente da ALERJ.
 Mesmo com todo o apoio que tem dos deputados será convencido que o melhor é se afastar do cargo de presidente ficando com o mandato, o mesmo que Renan Calheiros já fez na presidência do Senado. Há muitos anos venho denunciando os esquemas da família Picciani que multiplica suas vacas e negócios em ritmo avassalador. Cabral só fez o que fez porque Picciani estava junto. O Estado quebrou não foi apenas por causa de Cabral e Pezão. Picciani tem o mesmo grau de participação. E também não vai demorar a fazer companhia a Cabral em Bangu 8. Wagner Montes, atual 1º vice-presidente da ALERJ pode ir se preparando para assumir o comando do Legislativo do Rio. 
 
Adicionar comentário