1. NÃO PODEMOS E NÃO VAMOS ESQUECER O 31 DE MARÇO DE 1964
 

De volta ao passado pois o povo que desconhece sua história tende a repetir seus erros e esquecer seus acertos, vitórias e seus heróis.
Hoje estamos iniciando o mês de março de 2017, quando a Contrarrevolução de 1964, que deteve e venceu a revolução  que estava em marcha pelos comunistas em busca da conquista do poder para implantarem a Ditadura do Proletariado em nosso País estará completando no dia 31 do presente mês 53 anos. Assim é que até o último dia do  mês estaremos publicando artigos relacionados com o tema.


{jcomments on} Tal iniciativa tem como principal objetivo mostrar aos menos avisados e, principalmente, aos mais jovens que a mídia infiltrada do nosso Brasil tudo tem feito no sentido de não permitir que o povo, conhecendo a verdade dos fatos venha a reconhecer o quanto foi importante para a Pátria a vitória dos contrarrevolucionários de 1964. A mídia da qual estamos falando é aquela sensacionalista que busca alienar o cidadão de bem, principalmente os mais jovens que desconhecem nossa história mais recente. O que estava ocorrendo no País antes de 1964 se compara ao que está ocorrendo hoje? Como o Brasil evoluiu e cresceu após a intervenção militar que em verdade foi desencadeada em apoio ao povo que exigia nas ruas a deposição de João Goulart? Não podemos nos esquecer que, a época, foi a imprensa escrita falada e televisada quem mais apoiou o desencadear da Contrarrevolução, sendo que parte dela deixou de apoiá-la, quando viu seus interesses contrariados. Infelizmente, a cultura da maioria da nossa população  ainda é aquela obtida  diante da TV, pelo rádio e nos jornais, fatos  narrados de acordo com os resultados que cada um desses órgãos estejam interessados em obter. Ainda bem que hoje podemos contar com a  internet e redes sociais que estão publicando os absurdos que estão ocorrendo no nosso Brasil e que parte da imprensa também corrompida 
 
Para aqueles que primam pela verdade e que desejarem ter em mãos uma fonte de consulta segura basta reunir todos os artigos em um único documento. Assim, espero estar contribuindo, embora de maneira ínfima, para o restabelecimento de parte da nossa verdade histórica. 
Vamos recordar que no fim da década de 1950, o panorama político brasileiro era bastante confuso agravando-se a partir de 1961, com a renúncia do Presidente da República Federativa do Brasil senhor Jânio Quadros, chegando ao seu clímax  em março 1964. Após eleito com uma grande  maioria de votos e, apenas com sete meses de governo Jânio Quadros renunciou em 25 de agosto de 1961, alegando pressões de “forças ocultas”. Em verdade pretendia que as Forças Armadas o reconduzissem ao governo com maior poder o que não ocorreu. Na mesma tarde, Ranieri Mazzilli, Presidente da Câmara dos Deputados tomou posse já que o Vice-Presidente Sr. João Goulart estava em viagem oficial a China. Assim, com seu temperamento intempestivo, Jânio Quadros lançou o País em uma crise que acabou redundando na Contrarrevolução de 1964. Vamos, então, conhecer o caminho percorrido pela política brasileira desde a renúncia de Jânio Quadros até o momento em que a Contrarrevolução passou novamente para as mãos de governantes civis os destinos da Pátria que a conduzem até os dias atuais e que esperamos consigam levar a bom termo os dias de turbulência nos quais vivemos  nos quais falta tudo exceto  corrupção  e falta de vergonha dos nossos políticos.
Com estes artigos minha intenção é continuar despertando a consciência da sociedade brasileira, principalmente da mais jovem, para a necessidade de serem corrigidos, por meio de instrumento legais, os rumos de uma política   atual mas enviesada que beneficia criminosos, políticos criminosos e demais aproveitadores do erário público, relegando ao esquecimento, os cidadãos de bem e, principalmente, os que morreram ou foram ou ainda são feridos em defesa da Lei e do Estado de Direito e, ainda, resgatar aos olhos da Nação os princípios democráticos que embalaram  o MOVIMENTO DE 1964.
Visando relembrar àqueles de memória fraca e colocar à disposição dos  que não viveram o período do qual estamos falando serão transcritos amanhã textos insuspeitos, extraídos da mídia da época, relatando o que vinha ocorrendo no Brasil. (Continua).

Comments powered by CComment