A AUDÁCIA DOS MAUS SE ALIMENTA DA LENIÊNCIA DOS BONS
Contribuir para a defesa da Democracia e da liberdade, traduzindo um País com projeção de poder e soberano, deve ser o nosso NORTE!
General Marco Antonio Felicio da Silva
Nem mesmo o mais medíocre dos indivíduos poderá negar que o Brasil jamais enfrentou desastrosa situação de cunho moral, ético e cívico, como a atual, base da mais grave crise política, psicossocial e econômica-financeira de todos os tempos.
O Estado, dito Democrático de Direito, o Governo, pretensamente republicano, e suas instituições estão apodrecidos, permeados por intensa corrupção, contrariando os princípios fundamentais que os norteiam. Os sucessivos governantes não serviram ao País. Dele se serviram e, ainda, se servem!!!!!!


A Nação encontra-se ferida de morte. A maioria dos cidadãos, de maneira geral, não se sentem representados pelos políticos que elegeram e não confiam no Poder Judiciário politizado e, também, corrompido por interesses diversos, onde juizes batem cabeças e se ofendem publicamente.

A ilegitimidade dos poderes institucionais cresce com a revelação continuada de crimes cometidos por seus integrantes e por conchavos e posturas inaceitáveis.

O Presidente, Comandante Supremo das FFAA (Forças Armadas), juntamente com auxiliares diretos, foi denunciado por corrupção passiva e, após, também, como chefe de quadrilha criminosa e por obstrução à Justiça pelo PGR. Isso, a partir de inúmeras delações e investigações.

As denúncias foram recusadas pela CCJ da Câmara. Para tal, escassos recursos públicos foram usados em conchavos para a compra de apoio político (tendo em vista, também, a absolvição de Aécio Neves, afastado do Senado e objeto de medidas cautelares determinadas pelo STF).

O sentimento de insegurança da população é generalizado. O crime organizado controla, pelo País, verdadeiros narco-estados. A juventude está sendo destruída pelas drogas e a sociedade fraturada por políticas governamentais, como a de gêneros, implantadas pelos marxistas-gramscistas e trotskistas do PT (III Programa Nacional de DH/ governo Lula) e não erradicadas.
A economia mostra índices perigosos. Dívida pública na casa dos trilhões, cerca de 70% do PIB; Déficit fiscal alarmante, recessão, desemprego acima de 13 milhôes de trabalhadores, crescimento da informalidade (logicamente, a inflação tem que estar baixa).

Serviços básicos, como Saúde e Educação, e a infra-estrutura do País em completa deterioração. País à venda, incluso o que tem de melhor, colocando em risco a Soberania e outros interesses estratégicos, como no caso de Alacântara, para apurar migalhas que se esvaem na má administração e por políticos corruptos.
A Operação Lavajato, um ponto fora da curva, levada a efeito por um punhado de brasileiros capazes, corajosos, idealistas e patriotas, comprova, a cada operação realizada, que a pequena ferida inicial é, em verdade, um câncer generalizado.

Enquanto a Nação sangra, os responsáveis legais que detêm os meios violentos do Estado, as FFAA, que poderiam, por dever, ainda salva-la, apesar do apoio popular crescente, encontram-se paralisadas em nome de conceitos que nada mais significam diante do que apresenta a realidade : estabilidade, isenção, legalidade e legitimidade.

A instabilidade política, econômica e psicosocial é visível e a corrupção avassaladora comprovada. Assim, isenção não pode existir. Se há uma grande parte podre, que coloca em risco a soberania da Nação, cabe às FFAA combate-la e destruí-la, independentemente de grandes multidões, diariamente, em protesto nas ruas.

A legalidade da intervenção constitucional, pelas FFFA, está mais do que aprovada e comprovada por juristas de renome.

A legitimidade, também forma de valoração da legalidade, é fator fundamental para o sucesso da ação de quaisquer FFAA. Traduz o apoio da população e a crença de que a Nação, soberana, está protegida. Entretanto , começa a ser colocada em discussão. Críticas surgem pelo emprego político e inadequado no combate ao crime organizado. A começar pelos resultados considerados pífios. A legitimidade, também, se deteriora pela aparente ausência de vontade e decisão políticas, tendo em vista a intervenção constitucional, que se faz tardia e para lá de necessária para a maioria da população.

O ¨fogo amigo¨ se manifesta, ferindo a coesão, quando alta autoridade militar chama, desrespeitosamente, generais da Reserva, favoráveis à intervenção, de “valentes”, esquecendo-se que estes arriscaram a vida e a carreira, em 1964, combatendo a luta armada e, após ela, enfrentando, esquecidos por quem de direito, a sanha comunista e a ilegalidade da “Comissão da Mentira” . Assim, mantiveram a liberdade de que todos desfrutamos hoje, até mesmo para falar, com ironia, o que não se deveria: "Alguns generais começam a ficar valentes."

E tal legitimidade é ferida, também, por fatos que se multiplicam como afrontas. Bandido, embora senador, manda, publicamente, general calar a boca; outros chamam oficiais superiores de “bunda-sujas¨ e outros denigrem a Instituição como o fez a revista Época recentemente.Assim, a legitimidade, a isenção, a estabilidade e a legalidade são ousadamente atingidas, banalizadas, quando, também, os mesmos bandidos absolvem, por duas vezes, o ilegítimo Chefe Supremo das FFAA, denunciado como chefe de quadrilha criminosa.

A agravar tal aceitação, estranhamente com voto decisivo da Min. Carmem Lúcia, decidiu o STF submeter, ao Poder Legislativo, a condenação anterior de Aécio Neves pelo mesmo STF. Assim, o Tribunal Superior interferiu no exercício independente das decisões jurídicas, violando o Art. 2º da Constituição.

Rompeu-se o Direito Constitucional, possibilitando que os integrantes do Congresso, denunciados pelo Ministério Público, apesar do corporativismo, sejam julgados pelo Parlamento, ficando à margem do Poder Judiciário.
Tal decisão coloca em risco a eficácia da Operação Lavajato, responsável pela investigação, denúncia e punição da maioria dos políticos processados por diferentes crimes
Punições essas que serão revogadas. Veremos uma nova intensificação da corrupção e da impunidade, revoltando os homens de bem e esgarçando perigosamente o tecido social.

O que se depreende do acima é que “A AUDÁCIA DOS MAUS SE ALIMENTA DA LENIÊNCIA DOS BONS”.
E o País continua perigosamente à deriva!!!!!!

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar