O jornal de economia sul-africano Business Report atacou sem dó nem piedade, neste domingo, a campanha publicitária do governo federal encorajando os brasileiros a "gastar mais" para "evitar a recessão".
 
 
 
 
Lembra que os líderes dos EUA, Grã-Bretanha e Canadá deram o mesmo conselho após o 11 de Setembro, contribuindo para a bolha que resultou na pior crise financeira desde a Grande Depressão. Os brasileiros, continua o jornal, também acreditam que o país será menos afetado pela crise que seus vizinhos latino-americanos, como sugere uma recente pesquisa. "Se a campanha irresponsável der certo, acrescida do otimismo irreal e da carga estratosférica dos juros que os brasileiros pagam, avalia o Business Report, as conseqüências podem ser desastrosas" (...) milhões de famílias que alegremente seguiram o conselho gastando generosamente, podem ir à falência no ano que vem."
 
O puxão de orelha em Lula continua: "Sua autoconfiança esconde a incapacidade de lidar com o problema até agora". O jornal sul-africano credita a mensagem  "comprem" ao desejo presidencial de manter o PT no governo em 2010, "mas também mostra que o presidente é incapaz de compreender a profunidade e extensão da atual desintegração financeira".
 
Outra estocada: lembrar que Lula, de início, não levou a crise a sério, repetindo a frase "Que crise? Pergunte ao Bush."  E, prossegue o Business Report, acrescentando mais ironia com a frase seguinte: "Enquanto a crise era um tsunami nos Estados Unidos, só causaria uma marolinha no Brasil". 
 
 A análise econômica termina decretando que Lula está errado ao pensar que pode isolar (o país) do resto do mundo. "Não pode. É impossível quando as nações se interconectam numa economia global (...) e bancos federais não podem substituir bancos privados como provedores de liquidez num mundo com crédito escasso." O conselho final do Business Report: "Esperamos que os consumidores não acreditem em propaganda, especialmente do governo." 
.

_www.jornaldamidia.com/

Comments powered by CComment

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar