Os índios Pedro Tariano (PT) e André Baniwa (PV) disputaram prefeitura de São Gabriel da Cachoeira

DA REPORTAGEM LOCAL- Folha de São Paulo
O Exército está atento a mudanças históricas em curso no cenário político de São Gabriel da Cachoeira (AM). Com a maior população indígena do país -cerca de 85%- e localização estratégica na fronteira com Colômbia e Venezuela, o município terá como prefeito, a partir de 1º de janeiro, o índio tariano Pedro Garcia (PT), 47. O fato inédito na história da cidade já enseja paralelos com o presidente boliviano, Evo Morales.

Texto completo

Guardadas as proporções, há algumas semelhanças. Garcia, como Morales, começou a carreira política no movimento étnico. Em São Gabriel, como na Bolívia, o governo estava nas mãos da elite branca, e os índios marginalizados. A insatisfação promoveu a mudança.

Garcia está ciente das comparações, e "trabalha com cuidado". "A discriminação é visível, mas prometo governar para todos, índios, brancos e negros", disse à Folha. Garcia diz que na cidade o poder econômico "domina" e "a democracia não é levada a sério", mas que sua eleição é fruto "da maturidade do povo".

Na caserna, o sentimento é de curiosidade e preocupação -em 2006, Morales ocupou a refinaria da Petrobras em território boliviano. A estratégia com Garcia é de aproximação.

O indígena foi convidado a participar de um almoço tradicional entre militares da ativa e da reserva. "Eu o tratei como prefeito eleito com toda a consideração", disse o comandante militar da Amazônia, general Augusto Heleno. "É importante que ele tenha humildade para aprender", afirmou. (CDS)

 

Adicionar comentário