O candidato do PSOL à Presidência jura que o MTST resolveu terceirizar o estupro do direito de propriedade
Por Augusto Nunes - 03/05/2018
Guilherme Boulos, profissão indefinida, endereço incerto e não sabido, é o único sem-teto do mundo que nunca dormiu na rua nem passou uma só madrugada em algum imóvel que expropriou. O general deixa no local do crime os soldados rasos e vai desfrutar do conforto das casas que ganhou da família.


As chamas que derrubaram o prédio de 24 andares no centro de São Paulo iluminaram outra malandragem do agora candidato a presidente pelo PSOL: o também chefão do MTST mobiliza a sigla apenas para ataques a alvos cinco estrelas. O triplex de Lula no Guarujá, por exemplo.
Invasões irrelevantes ficam por conta de entidades do grupo B. Coube a um certo Movimento de Luta Social por Moradias (MLSM, para os íntimos) ocupar ilegalmente o edifício que desabou. O mais notório gigolô de sem-teto resolveu terceirizar o estupro do direito de propriedade.

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar