O açaí mobiliza a podre imprensa nacional
Humberto de Luna Freire Filho, Médico - 31/08/2018
Finalmente, nessa semana a grande imprensa nacional consegui matéria para oito dias de um jornalismo “sério”, “imparcial” e “elucidativo”, e que está totalmente compatível com essa palhaçada que estão chamando de eleição
presidencial, onde a maioria dos candidatos responde a processos ou são acusados de roubo. Tem até candidato prisioneiro. Mas a grande matéria da semana, trata da vendedora de AÇAÍ, lá de Angra dos Reis que virou assunto


prioritário dessa imprensa podre que está invadindo nossas casas e nos chamando de idiotas.
Uma leva de jornalistas, provavelmente ex-alunos de Marilena Chauí, esqueceram da roubalheira da Petrobras, do BNDES, da Caixa Econômica, do Banco do Brasil, dois bilhões levados para o exterior e doados para ditadores. A nível estadual (SP), dos milhões roubados do Metropolitano, do Rodo-anel. Esqueceram do Paulo Preto, mas lembram da vendedora de AÇAÍ, que se não pedisse demissão iria falir o serviço público com seu astronômico salário de R$1.300,00.

Jornalismo não é fazer campanha pró ou contra qualquer candidato, principalmente fora do período legal, o que é considerado crime eleitoral.
Mas é isso que estamos vendo, propaganda contra um candidato que promete contrariar o interesse de várias quadrilhas que há 14 anos loteiam o país e roubam os cofres públicos. Já votei para presidente da República várias vezes e a minha escolha se baseava em meritocracia, honestidade, brasilidade e cidadania.

Para essa eleição meu critério de escolha mudou. Vou votar no candidato que é criticado e atacado pelas diversas organizações criminosas que atuam nos três poderes e recebem apoio dessa imprensa podre comandada pelas

Organizações Globo, Jornal Folha de São Paulo, Revista Veja e agora, por incrível que pareça, pelo jornal o Estado de São Paulo. *Meu Candidato se chama JAIR MESSIAS BOLSONARO.*
Quanta hipocrisia, quanta imoralidade, quanta mediocridade, quanta falta de vergonha na cara desses profissionais que se prestam para defender ladrões e esconder roubos. Na maior cara de pau defendem interesses de grupos em detrimento do interesse da sociedade. A verdade é que hoje temos uma imprensa podre tocada por uma grande quantidade de jornalistas criados e amestrados na Unicamp, na USP e na UNB, antros dos defensores de uma esquerda burra e falida em todo o mundo.

Humberto de Luna Freire Filho, Médico – Cidadão brasileiro sem medo de corruptos

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar