Imprimir
Categoria: Diversos
Acessos: 3800

 A carta abaixo foi recebida de um universitário. Por motivos óbvios não estou publicando o nome do remetente, do seu pai,  assim como da universidade onde estuda. Depois que em nosso país as leis passaram a ser questionadas de acordo com o viés ideológoco dos atuais governantes, depois que eles afirmaram que as cláusulas pétreas da nossa Constituição não são tão pétreas e  que o direiro adquirido é muito relativo, tudo pode acontecer.
Carlos Alberto Brilhante Ustra

 
Prezado Coronel Ustra,

Sou um mero aluno de Filosofia da Universidade .... Estando no meu último ano de graduação, posso afirmar que o referido curso ocupa-se, primordialmente, de promover a disseminação de ideologias marxistas, revestidas por uma roupagem falaciosa de esperança, beleza e liberdade. Tais ideologias, ignorando os exemplos de nações que se enveredaram neste descalabro, fundamentam-se não em fatos concretos, mas na estúpida esperança de que no futuro promoverão a grande redenção da humanidade.

Texto completo

Posso afirmar, também, que outros cursos como História, Ciências Sociais, Serviço Social, Letras, Geografia, Direito e todos os demais cursos de humanidade são todos alinhados à mesma monstruosidade. Fico preocupado quando colegas batem no peito afirmando orgulhosamente serem marxistas revolucionários, sem saber o que isto realmente significa. Muitos são jovens recém saídos do ensino médio, ingênuos e desconhecedores daquilo que jamais será ensinado nas Universidades. Para citar alguns exemplos, mal eles sabem que a tecnologia dos campos de concentração nazistas foi toda ela importada da então União Soviética, que o regime comunista possui a mais nefasta engenharia social já conhecida (vide o documentário The Soviety Story), ou que a subversão moral-ideológica e a desestabilização legal, com a promulgação de leis absurdas, são parte de mecanismos da implantação desse sistema nefasto, provocando o esfacelamento da nação (Vide entrevista com ex-agente da KGB, Yuri Bezmenov, no site Youtube).

Diante desse contexto de usurpação das mentes juvenis por uma ideologia falaciosa e perversa, onde terroristas, sequestradores, incendiários e assaltantes são postos no patamar de santos e mártires da humanidade, fica bem claro o grande erro do Exército Brasileiro, instituição que admiro e respeito profundamente. Não houve a preocupação de, durante a permanência das Forças Armadas no poder, promover a formação de mentes que pudessem verdadeiramente conduzir o País à democracia. Entre os formadores de opinião, faltaram contra-pontos ideológicos. Nas Universidades e no meio jornalístico, praticamente não há oposição ao grotesco. E hoje o Exército Brasileiro, por efeito do governo FHC e, principalmente, com a ascensão do PT, encontra-se desmoralizado perante a sociedade civil.

Testemunhamos o alinhamento do nosso governo e dos países vizinhos com grupos criminosos que rondam nosso continente. Enquanto Morales, Chaves, Correa e Lula vivem em afagos imorais com as Farcs, bem como facilitando o armamentismo de outros, como o MST, as nossas Forças Armadas perdem a credibilidade perante a sociedade. Sem o resgate da confiança, é praticamente impossível a legitimação de uma intervenção necessária, que, se realizada num contexto como o atual, degradaria ainda mais a imagem dessa instituição tão importante ao nosso País.

Nesta atmosfera de revanchismo que vivemos, onde indenizações vultuosas são dadas a qualquer um que se diga ofendido pelos anos da repressão, fico realmente preocupado com o silêncio das Forças Armadas. O resgate da credibilidade não vem sendo realizada. Os nossos combatentes militares que colocaram suas próprias vidas em risco pela ordem e segurança no país, hoje são comparados a verdadeiros criminosos. Inaceitável que as Forças Armadas fiquem coibidas diante dessa total inversão imoral de valores!

Caro Coronel Ustra, esta carta é a expressão de descontentamentos em face da atual situação do nosso Brasil e pelo silêncio das nossas Forças Armadas. Por outro lado, e seria uma injustiça da minha parte não fazê-lo, quero parabenizá-lo pelo livro A Verdade Sufocada. O Sr. é um dos poucos que se opõe publicamente a esta promiscuidade em que o País está imerso, realizando um trabalho de divulgação do que realmente significou o processo de ascensão dessa imundice no período de repressão.

Por fim, tomei conhecimento do seu livro através de meu pai.
Pela dedicatória, posso supor que os Senhores são ao menos conhecidos. ...
Espero que continue com o seu trabalho de desvelamento da verdade, bem como incentivando seus pares a fazer o mesmo.

Grande Abraço,