“ A farda não ão abafa o cidadão no peito do soldado”. Marechal OsórioCarlos Augusto Fernandes dos Santos- General Reformado- POA/RS 05/11/2018
Algumas horas depois da vitória de Jair Bolsonaro nas últimas eleições, representantes de diversos segmentos de nossa sociedade , inconformados com a derrota no democrático pleito presidencial, deram início ao TERCEIRO TURNO ELEITORAL.
Analistas políticos, travestidos de jornalistas isentos , artistas e intelectuais engajados, escreveram matérias e manifestaram opiniões, em conhecidos jornais e emissoras de TV, encharcadas de preconceito e ressentimento, com o claro objetivo de desqualificar o candidato vencedor e de identificá-lo como” fascista incurável” apoiado por ex-colegas de farda “ truculentos”. Lembro que BOLSONARO está fora da caserna, há mais de trinta anos.


Nesta última semana , repetiram arengas cheias de ódio , sinalizando para o país, um futuro de dias cinzentos, segundo eles, semelhantes aos dos “anos de chumbo” do período governado por presidentes militares. Nada aprenderam durante quatro períodos de governo, quando aparelharam, no poder, milhares de escaninhos da república.

A inconformidade é ainda maior por saberem que o Presidente eleito e sua equipe de governo demonstram firmeza e compromisso para colocar o país nos eixos; de não aceitar a prática odiosa do “toma-lá-dá-cá” com políticos fisiologistas e desprezíveis; de não se dobrarem aos conhecidos conchavos que favoreceram vergonhosamente empreiteiros corruptos em operações criminosas praticadas por integrantes de partidos amigos , sob as ordens do ex-presidente LULA , condenado e preso em Curitiba.

A preocupação atinge o paroxismo quando BOLSONARO afirma que as verbas que sustentaram a propaganda oficial dos governos nos últimos dezesseis anos serão distribuídas e realocadas com judicioso cuidado; tem assegurado que as empregará em setores mais carentes da sociedade como educação, saúde, transporte e segurança, fazendo com que os necessários recursos sejam imediatamente recebidos por Estados e Municípios: “Mais Brasil e menos Brasília”. Atacam e reagem indignados , falando, até, em inaceitável censura prévia.

Essa exacerbação se intensifica quando o Presidente aponta para os privilégios , verdadeiro acinte, dispensados a setores dos poderes Legislativo e Judiciário , como se fosse justo o tesouro nacional ser obrigado a proteger carreiras que não necessitam tal prioridade.

Enfim, nesse curto espaço de tempo não conseguiram, contudo , esconder o velado sentimento de repulsa que dispensam às Forças Armadas Brasileiras, responsáveis na história republicana, por impedi-los , em conturbadas e sucessivas épocas , de implantar no Brasil um anacrônico regime de opressão e violência, de resultados desastrosos em várias partes do planeta. Seria cansativo elencar os insucessos e os exemplos históricos desse modelo ultrapassado. As nações civilizadas já colocaram esse ODIOSO SISTEMA na lata de lixo da história.

Estejam certos nossos compatriotas que os integrantes da Forças Armadas auxiliarão o Presidente eleito, de mãos dadas com homens e mulheres patriotas, e serão escravos dos compromissos assumidos com o regime democrático, que defendem por princípio e convicção, para atender aos lídimos desejos manifestados por expressiva maioria da população brasileira no recente pleito presidencial. “ Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”.

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar