Sem barganhar cargos, Bolsonaro mostra que pode aperfeiçoar nossa democracia
Jorge Béja - (Gazeta do Povo)
A intenção do presidente eleito Jair Bolsonaro de nunca, em hipótese alguma, negociar ou barganhar com o Congresso a aprovação de lei em troca de cargos no governo é merecedora de muitos e efusivos aplausos. Bravo, presidente! O senhor está corretíssimo.
O senhor também antecipa que vai utilizar as redes sociais para demonstrar a necessidade, o proveito e o ganho de lei, medida provisória ou projeto de Emenda à Constituição que o presidente enviar ao Congresso para a votação, caso o Parlamento não as aprove. Bravíssimo, presidente!

INEDITISMO – Tanto representará um ineditismo saudável e jamais praticado no Brasil. Nem sei se outro governante democrata no mundo age dessa maneira. Será um verdadeiro plebiscito, pois o povo-eleitor-mandante é quem terá voz forte e ativa, para julgar seus projetos enviados ao Congresso e decidir se os congressistas atenderam ou não à soberana vontade do povo. Todos nós brasileiros nos sentiremos mais cidadãos, nos sentiremos fortes e bem representados pelo mandatário que elegemos.

Mas usar as redes sociais apenas quando suas remessas ao Congresso retardarem a ser votadas ou não venham ser aprovadas, o que é louvável e inédito, também seria louvável e inédito, pelas mesmas redes sociais, submeter ao conhecimento do povo os motivos que levaram o Congresso à rejeição, quando rejeitadas ou houver demora para a apreciação e votação. Nesse caso, o senhor terá a oportunidade de rebater a argumentação do Parlamento e deixar que o povo brasileiro julgue com quem está a razão. Se tanto acontecer, viveremos uma democracia e tanto.

MOEDA DE TROCA – Seja como for, o importante é que no seu governo não haverá “moeda de troca”, porque não existe “moeda”, não existe “troca” e nem existe algo para ser trocado. Palácio do Planalto, Câmara dos Deputados e Senado Federal não formarão mais um balcão de compra e venda, de negociatas, muito menos de corrupção.

Essa sua atitude, se vier a ser mesmo posta em prática, vai revolucionar a Democracia, consolidando-a justamente pelas mãos e pela inteligência de quem eleitores duvidaram que fosse um democrata.

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar