Denise Frossard elogia indicação de Moro e defende extradição de Cesare Battisti
José Carlos Werneck
A juíza aposentada Denise Frossard, que se notabilizou por sua coragem quando exerceu de forma inatacável suas funções de magistrada no Estado do Rio de Janeiro, publicou uma nota sobre a extradição do terrorista Cesare Battisti, condenado à prisão perpétua na Itália. Disse a magistrada:” Não posso deixar de aplaudir o embaixador da Itália no Brasil, Antônio Bernardini, que foi ao encontro do presidente eleito, Jair Bolsonaro, para reiterar, em nome do governo Italiano, a necessidade de ser extraditado o criminoso italiano Cesare Battisti, homiziado no Brasil e que teve sua extradição negada pelo então presidente da República e hoje criminoso em cumprimento de pena”.

ASSASSINO E LADRÃO – “Como convém lembrar, Battisti é assassino e ladrão, assim reconhecido pela Justiça Italiana e queria impor, à bala, o regime comunista na Itália, quando o Partido Comunista, sob o comando de Berlinguer, tinha – e ainda tem – assento no Parlamento Italiano, pelo voto!” – disse a juíza aposentada, acrescentado:

“Sou cidadã italiana e eleitora. Assim, como cidadã brasileira e italiana, também aplaudo o presidente eleito, Jair Bolsonaro, por já ter manifestado sua opinião no sentido de que Battisti seja extraditado. Curioso é que o então presidente Lula da Silva já trilhava pelo caminho do crime quando negou a extradição de Battisti… é, os criminosos se protegem…! Há um Cesare Battisti, de Trento, Norte da Itália, que lutou e morreu pela unificação da Itália: “Il vero Cesare Battisti è morto gridando “viva Trento, viva L’Italia”!

CASO MORO – Também sobre a nomeação de Moro para o cargo de ministro da Justiça do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro, a brava juíza foi taxativa:

“Moro condenou o sr. Lula da Silva em razão de provas contundentes e a sentença foi confirmada à unanimidade pelo Tribunal e o único senão foi ter ele sido brando na dosimetria da pena, que foi aumentada pelo Tribunal. Não era amigo nem inimigo do réu, portanto isento. O condenar ou absolver um réu não passa pelo sentimento de um juiz. Ele o faz, com base nos autos e não fica ao sabor da conveniência e calendário político.”

Denise Frossard ficou conhecida nacionalmente por condenar chefões do jogo do bicho e membros do crime organizado do Rio de Janeiro, em 1993.

 Pesquise mais sobre Cesare Battisti em  vários artigos  https://www.averdadesufocada.com/index.php?option=com_content&view=article&id=6480:3001-battisti-in-poa&catid=54&Itemid=103

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar