Imprimir
Categoria: Política interna
Acessos: 416

 Marco Aurélio e o ápice do descrédito
EDITORIAL Gazeta do Povo  - 20/12/2018
Marco Aurélio e o ápice do descrédito
Marco Aurélio Mello mostrou desprezo pela corte que integra na liminar que promovia um “indulto de Natal”. Felizmente, Dias Toffoli tomou o lado do Estado Democrático de Direito
Carlos Moura//STF 


Neste país onde as instituições passam por testes de estresse cada vez mais frequentes, o ministro Marco Aurélio Mello foi responsável por mergulhar o país, por algumas horas, na insegurança jurídica com potenciais consequências trágicas, ao conceder liminar ordenando a soltura de todos os que se encontravam presos após condenação em segunda instância, mas sem o trânsito em julgado da sentença. E, por “todos”, o ministro realmente quis dizer todos: assassinos, estupradores, traficantes, corruptos, o que fosse, ganhariam as ruas graças à vontade suprema de um único ministro – só ficaria na cadeia quem estivesse preso preventivamente –, erro que foi consertado no início da noite por decisão do presidente do STF, Dias Toffoli.