Caro leitor,
Prepare-se para conhecer os detalhes de mais um episódio da série “Clube das Empreiteiras”.
Leia o trecho a seguir, de reportagem exclusiva do jornalista Mateus Coutinho, na Crusoé, que coloca em evidência uma construtora conhecida da Lava Jato:
“Em acordo de leniência fechado com a Procuradoria da República e já homologado pela Justiça Federal, a antiga cúpula da Camargo Corrêa contou, pela primeira vez, que o modus operandi inescrupuloso que guiava as obras tocadas por grandes empreiteiras pelo Brasil afora se reproduziu também no Poder Judiciário.
Agora confira os detalhes de uma das obras citadas no processo, a da construção da sede do Tribunal Superior Eleitoral, o TSE.


“São 92 mil metros quadrados espalhados por dez andares emoldurados por uma fachada curvilínea recoberta por placas de vidro. (…) As dimensões da obra, concluída há oito anos, já foram queiu.”stionadas em diferentes frentes, mas nenhuma investigação foi capaz de explicar as razões do exagero. Não faz muito tempo, em uma das frentes de trabalho da Lava Jato, o assunto ressurge"

A reportagem, de fôlego, traz os detalhes do que disseram os executivos da empreiteira.
O jogo de cartas marcadas, muito comum no clube das empreiteiras desbaratado pelo petrolão, é mais uma vez revelado.
Leia este outro trecho da reportagem:

“Três altos executivos da empreiteira, entre eles o ex-vice-presidente Marcelo Sturlini Bisordi, relataram que a obra do TSE já estava acertada entre a OAS e a Via Engenharia desde antes da licitação. Como era comum no ‘clube de empreiteiras’ do petrolão, o jogo de cartas marcadas foi negociado por um seleto grupo de empresas, as mesmas que, segundo os delatores, também fraudaram a licitação para as obras da nova sede do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, o TRF-1, lançada no mesmo ano.”

São relatos explosivos que desnudam o funcionamento de negociatas feitas por baixo do pano.
São esquemas conhecidos, já revelados anteriormente à exaustão…
… mas que, lamentavelmente, continuaram sendo reproduzidos em diversas esferas.

Os relatos dos executivos da empreiteira trazem uma série de confissões.
E mostram que há agora uma nova oportunidade para que as investigações avancem.
Há muito ainda a ser esclarecido, desvendado.
Essas confissões podem ser apenas o primeiro passo.
O fio da meada que pode levar a algo maior.
 Leia  reportagem completa na Revista CRUSOÉ

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar