Imprimir
Categoria: FORO DE SÃO PAULO
Acessos: 276

Antes de acusar os adversários de “fascistas”, os petistas deviam se olhar ao espelho
Por Sergio Garschagen - Facebook - 14/07/2019
Eles não sabem o que dizem – A principal arma dos petistas, quando zangados com alguma crítica, é qualificar simploriamente os antagonistas de “fascistas”. Mostram com esta tática que não sabem muito bem o que é o fascismo e, pior, desconhecem o fato de que o PT no Poder usou algumas táticas do fascismo italiano.
Uma curta pesquisa sobre os dois movimentos ( petismo e fascismo ) comprova a apropriação de táticas fascistas pelo petismo. Vamos a elas:
1- Os regimes fascistas valorizam de forma intensa o corporativismo. Assim, é comum que os governos fascistas utilizem, de forma exacerbada, propagandas nacionalistas através de lemas, símbolos, músicas e bandeiras.

.

(Basta analisarmos o mar de bandeiras vermelhas do PT nas marchas promovidas pela CUT, MST, MTST e outros movimentos ligados ao PT para percebermos a mesma tática corporativista.)

2- O maior exemplo de corporativismo fascista ocorreu na Itália durante o governo de Mussolini. Na época, foram criados sindicatos de trabalhadores e de patrões para cada profissão. Esses sindicatos eram submetidos à supervisão do Partido Nacional Fascista, o que garantia que todas as classes, de todas as áreas, estivessem sempre em harmonia com os ideais do governo.

(Durante o petismo o Brasil contabilizou cerca de 16 mil sindicatos de todos os tipos e o Ministério do Trabalho ficou famoso pela sua transformação em balcão de vendas de cartas sindicais. Centenas de líderes de sindicatos viviam às custas do imposto sindical obrigatório).

3 – Entre as principais características do fascismo estão a concentração do poder nas mãos de um único líder, o uso da violência e o imperialismo.

(Ainda está mal explicada a morte do prefeito Celso Daniel e das sete testemunhas do caso, além da concentração de poder em mãos do capo Lula, que impediu a geração de novas lideranças no PT. Quem entrava na disputa presidencial, como Dilma e Haddad, apenas guarda a próxima candidatura de Lula).

4 – Os líderes fascistas controlavam os meios de comunicação de massa, por onde divulgavam sua ideologia e controlavam todas as informações disseminadas.

(Lula vivia a defender o controle social da mídia)

5 – O fascismo se opunha ao liberalismo, sobretudo na defesa do Estado forte e dos interesses de massa em detrimento dos interesses individuais. Dentro deste princípio fortalecia empresas privadas ligadas ao capital estatal.

(É só lembrarmos dos casos das empresa X do Eike Batista e da JBS e da estatal 7 Brasil, além da criação de dezenas de novas estatais no Brasil, todas mantidas com injeções de recursos oficiais, para percebermos a semelhança com a mesma tática do fascismo italiano).

6 – Grupos de ativistas dispostos a defender o fascismo nas ruas.

(Este exemplo é claro, quando nos lembramos dos black blocs petistas a realizar quebra-quebras nas ruas com incêndios de pneus e, como bem lembrou o Lula, quando ameaçou convocar o exército do Stédile).