Jornal da cidade - 23/08/2019Os bandidos querem prender os mocinhos? Não, né?
Quando isso ocorre é porque está havendo uma tentativa de inversão de valores e uma corrosão na teia de formação ética de uma sociedade.
E é exatamente isso que está implícito na lei de Abuso de Autoridade, aprovada pela Câmara dos Deputados por voto de lideranças.
O Brasil inteiro sabe o que está por trás desta manobra.



Muitos dos deputados que integram a Câmara Federal tem ligações diretas com as práticas de corrupção que estão sendo objeto das investigações iniciadas pela Operação Lava Jato. Já estão ou serão investigados, processados e julgados como todo o cidadão comum deve ser, quando houver indícios de envolvimento com atos ilícitos e criminosos.

Todos nós sabemos que as instituições brasileiras foram (e algumas seguem) aparelhadas por corruptos e corruptores para pilharem os cofres públicos. E que está em ação uma complexa organização criminosa, com tentáculos os mais profundos que se auto protegem.

O crime organizado comanda a corrupção, a lavagem de dinheiro, o tráfico de armas e de drogas e semeia a violência.

O Estado brasileiro começou a reagir. E veio a reação contra a reação.

Sob o manto esfarrapado da imposição de limites a supostos abusos, o que essa horda deseja é parar a operação Lava Jato e o combate à corrupção.

São uma minoria, mas são fortes, articulados e audaciosos.

Não foi por acaso que o presidente do Supremo Tribunal Federal, em contradição com as suas próprias decisões, resolveu estancar qualquer investigação que tenha advindo de indícios consistentes de movimentação irregular de dinheiro.

Não foi por amor ao devido processo legal que outro ministro proibiu que integrantes do Supremo Tribunal Federal e seus parentes sejam investigados por indícios de práticas que se provadas caracterizam severos ilícitos penais.

A República corre perigo! Mas está viva! Prova disso, foi a mobilização que aconteceu hoje em todo o Brasil, nas capitais e no interior, onde centenas de integrantes da Magistratura brasileira (Juízes Federais e Estaduais), Procuradores e Promotores de Justiça, Delegados da Polícia Federal e Civil, Auditores-Fiscais e outras autoridades protestaram contra essa abusada lei de combate ao abuso de autoridade.

A repercussão da manifestação destas autoridades é um grito ensurdecedor que não pode deixar de ser ouvido pela nação, pelas autoridades que não tem vínculo com a corrupção e pelo Presidente Jair Bolsonaro.

O Senado da República já percebeu a armação da Câmara.

Mais de 30 Senadores entregaram, nesta quinta-feira (22), ao Ministro Sérgio Moro, um manifesto pedindo que o Presidente vete integralmente a Lei.

E é isso que precisa ser feito, incondicionalmente, sem concessões nem flexibilizações!

E mais, as investigações que apuram os indícios precisam seguir.

Como necessitam ir adiante os pedidos de impedimento dos Ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes junto ao Senado da República, obedecidas as formalidades de estilo.

Cada brasileiro de bem tem um papel a desempenhar nesse momento da nossa história.

E esse comportamento não pode ser o silêncio nem a omissão.

Portanto, não é hora de “fazer que não é nada comigo!” O Brasil tem que dar um passo adiante!

Eles, os bandidos, não vão prender os mocinhos.

A menos que os mocinhos deixem...

Adicionar comentário